2007-2013 (QCA IV)
FORMAÇÃO PROFISSIONAL: Formação para a Inclusão – POPH

O presente projeto foi desenvolvido pela Associação Amato Lusitano, que contratou a ADRACES como entidade formadora certificada para realização de 2 ações de formação: Prestação de Cuidados a Idosos e Prestação de Cuidados a Crianças.

 

PUBLICAÇÕES: Colchas de Castelo Branco - Percursos por terra e Mar

Publicação enquadrada na Atividade nº1 da Ação2/Fase 2 do Projeto "Ex-Libris" - Reconverter/Adaptar/certificar o Bordado de Castelo Branco, cuja entidade interlocutora é a ADRACES.

 

PUBLICAÇÕES: Livro Branco para a Valorização das Actividades Tradicionais

O Livro Branco é o contributo de duas Parcerias de Desenvolvimento para as reflexões que outros territórios poderão desenvolver sobre as problemáticas associadas às atividades tradicionais.

 

COOPERAÇÃO TRANSNACIONAL: Campus Europeu de E-Learning para o Desenvolvimento Rural

Criar uma rede Europeia em torno da temática do Desenvolvimento Local, utilizando as TIC (Plataforma de E-Learning) para a disseminação de conteúdos de forma rápida e eficaz na troca, discussão e aplicação da informação, reunindo e promovendo a inovação nas formas de aprendizagem, reforçando e sensibilizando para a política de coesão da UE.

 

PATRIMÓNIO CULTURAL: Penamacor na História e na Lenda

Iniciativa jovem que pretendeu envolver Jovens de Penamacor, com idades entre os 17 e os 20 anos, despertando-os para a riqueza do Património, História e Cultural local.

 

ANIMAÇÃO E PROMOÇÃO DO TERRITÓRIO: PACA – Plano de Aquisição de Competências e Animação

Enquadrada no Eixo III do PRODER, apoiou os GAL no desempenho das suas funções de elaboração e implementação da Estratégia Local de Desenvolvimento, onde se insere a animação do território e o acompanhamento dos projetos, bem como nas suas funções de gestão do Eixo III do PRODER, enquanto órgão intermédio de gestão.

 

FORMAÇÃO: POPH

Expressa a ambição de possibilitar aos adultos, que já estão no mercado de trabalho sem terem completado o 9º ano ou o 12º ano de escolaridade, uma nova oportunidade, contribuindo para o desenvolvimento de competências críticas à modernização económica e empresarial e para a adaptabilidade dos trabalhadores.

 

FORMAÇÃO: POPH – Modulares

Expressa a ambição de possibilitar aos adultos, que já estão no mercado de trabalho sem terem completado o 9º ano ou o 12º ano de escolaridade, uma nova oportunidade, contribuindo para o desenvolvimento de competências críticas à modernização económica e empresarial e para a adaptabilidade dos trabalhadores.

 

FORMAÇÃO: Formações Modulares Certificadas – POPH ACICB

Projeto formativo desenvolvido pela ACICB que contratou a ADRACES como Entidade Formadora Certificada.

 

COOPERAÇÃO NACIONAL: 7 Maravilhas da Gastronomia

Projeto desenvolvido em complementaridade com o concurso nacional 7 Maravilhas da Gastronomia que visa promover a gastronomia portuguesa associada à identidade dos territórios.

 

PUBLICAÇÕES: As Danças Tradicionais da Lousa - Um Património da Beira Baixa

Um olhar sobre as danças tradicionais da Lousa, além de necessário revela-se proativo e ousado, por incutir cientificidade a este repertório tradicional, potenciando a desejável e premente aproximação entre a Academia e o terreno de pesquisa.

 

PATRIMÓNIO CULTURAL: Festas e Romarias

Trata-se de um projeto de turismo cultural, assente nos elementos distintivos e na singularidade da riqueza de fatores que o território em apreço apresenta. Portugalidade, Religiosidade, Património Cultural, Ruralidade, enfim a riqueza maior dos seus recursos endógenos, como grandes âncoras do projeto.

 

COOPERAÇÃO TRANSNACIONAL: Rede/Itinerário Gastronómico e a Cultura dos Sabores

Promover o desenvolvimento de ações locais e transnacionais que impulsionem e estimulem sinergias para a criação de intervenções integradas no sector da cultura e da gastronomia e contribuam para a criação e/ou consolidação da imagem de marca dos territórios envolvidos.

 

COOPERAÇÃO NACIONAL: CREmp BIS - Centro de Recursos de Empreendedorismo Feminino

O CREmp BIS é caracterizado por ser um projeto de cooperação centrado no empreendedorismo feminino, a partir do qual foram desenvolvidas um conjunto de atividades com o intuito de promover e fomentar o empreendedorismo entre a população feminina da Beira Interior Sul.

 

PUBLICAÇÕES: Mistérios da Semana Santa em Idanha

Publicação sobre os mistérios da Semana Santa e tradições pascais de Idanha-a-Nova.

 

COOPERAÇÃO TRANSFRONTEIRIÇA: Tejo Vivo

Constituição da Rede Tejo Vivo, formada pelas diversas ADL de Portugal e Espanha cujo elemento unificador é o Rio Tejo, para a promoção dos respetivos territórios em torno de uma marca e identidade próprias associadas ao maior rio da península ibérica.

 

ANIMAÇÃO TERRITORIAL: Animação do Território (outras atividades relevantes) - Ano 2013

Desenvolvimento de atividades diversas e complementares aos projetos principais coordenados pela entidade, cuja implementação é da responsabilidade dos Pólos de Desenvolvimento Local ADRACES, sediados em Castelo Branco, Idanha-a-Nova e Penamacor, com o objetivo de animar, valorizar e promover o território e suas gentes.

 

PATRIMÓNIO CULTURAL: Música para o Mundo – Resgatar e Valorizar a Música Tradicional da Beira Baixa

Criação de produtos disseminadores da cultura musical local (2 CDs de música tradicional local; 2 CD de música tradicional com arranjos contemporâneos; 1 DVD documentário promocional da música da Beira Baixa; 1 publicação de promoção do projeto; uma publicação de valorização da música tradicional e do território).

 

INFORMAÇÃO EUROPEIA: Centro de Informação Europe Direct CIED BIS

Assegurar o interface entre os cidadãos e a União Europeia a nível local, incentivando a participação e implicação dos cidadãos da BIS no processo de (re)construção da Europa, enfocando-se as abordagens na importância dos inputs e valor acrescentado da UE no território.

 

 

 

Formação para a Inclusão – POPH

Área(s) temática(s) de intervenção:

Formação Profissional 

 

Descrição:

A tipologia “Formação para a Inclusão” tem como principal objetivo promover o desenvolvimento de competências profissionais, sociais e pessoais junto de grupos excluídos ou socialmente não inseridos, tendo em vista a aquisição de capacidades e certificação que lhes permitam a reintegração no mercado de trabalho.

O presente projeto foi desenvolvido pela Associação Amato Lusitano, que contratou a ADRACES como entidade formadora certificada para realização de 2 ações de formação: Prestação de Cuidados a Idosos e Prestação de Cuidados a Crianças. 

 

Objetivos gerais:

  • Trabalhar as competências socioprofissionais dos grupos mais vulneráveis no concelho de Castelo Branco, sobretudo das mulheres, maioritariamente das zonas rurais;
     
  • Facilitar a sua inserção na trajetória de vida e garantir a sua empregabilidade;
     
  • Contribuir para a sua valorização pessoal e qualificação profissional;
     
  • Melhorar a qualificação dos recursos humanos ao serviço das instituições que desenvolvam a sua atividade nestes domínios;
     
  • Melhorar a qualidade dos serviços prestados.

 

Ações:

  • Prestação de Cuidados a Idosos – 792 horas
  • Prestação de Cuidados a Crianças – 792 horas
  • Área de Formação: 762. Trabalho Social e Orientação e 761 – Serviços de apoio a Crianças e Jovens 

 

Destinatários:

População em Idade Ativa Desempregada e com baixas qualificações.
Total de formandos: 12 + 12

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

Entidade Promotora: AMATO LUSITANO
Entidade Formadora Externa: ADRACES
Parceiros: Instituições de Apoio a Idosos e Creches/Jardins de Infância do Concelho de Castelo Branco

 

Local de implementação:

Castelo Branco

 

Resultados / Produtos:

3 Postos de Trabalho Criados (1 Cuidados a Crianças e 2 Cuidados a Idosos)

 

Calendarização:

Prestação de Cuidados a Crianças: Outubro 2008 a Julho de 2009
Prestação de Cuidados a Idosos: Novembro 2008 a Agosto 2009

 

Programa de financiamento:

POPH - QREN

 

 

 

Colchas de Castelo Branco - Percursos por terra e Mar

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • Publicações
  • Bordado de Castelo Branco

 

Descrição / Enquadramento:

Atividade nº1 da Ação2/Fase 2 do Projeto "Ex-Libris" - Reconverter/Adaptar/certificar o Bordado de Castelo Branco, cuja entidade interlocutora é a ADRACES.

 

Elaboração Técnica / Autores:

Helena Ormonde
Maria Filomena Lopes de Barros
Teresa Pacheco Pereira
Nuno Pousinho
Daniel Melo
Maria Dolores Vila Terejo
Luisa Arruda
Ana Pires
Maria de Fátima Paixão

 

Coordenação:

  • IMC/Museu de Francisco Tavares Proença Júnior
  • ADRACES - Associação para o Desenvolvimento da Raia Centro-Sul

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

  • ADRACES - Associação para o Desenvolvimento da Raia Centro-Sul
  • IMC/Museu de Francisco Tavares Proença Júnior
  • Câmara Municipal de Castelo Branco 
  • Instituto Politécnico de Castelo Branco

 

Editores:

Parceria Ex-Libris:

  • ADRACES - Associação para o Desenvolvimento da Raia Centro-Sul
  • IMC/Museu de Francisco Tavares Proença Júnior
  • Câmara Municipal de Castelo Branco 
  • Instituto Politécnico de Castelo Branco

 

Fotografias:

IMC/DDF (Divisão de Documentação Fotográfica)
Luis Pavão
V&A (Victoria  Albert Museum)
Ana Pires
José Pedro Barata
Fish-Eye - Estúdio Fotografia, Lda.
Maria Dolores Vila Tejero

 

Tradução:

Multilingues21 - Traduções e Edições Técnicas Multilingues, Lda. (Tradução Premium)

 

Design e Produção Gráfica:

OficialDesign, Lda.

 

Revisão de textos:

Pelos Autores

 

Tiragem:

1500 Exemplares

 

ISBN:

978-989-95138-2-2

 

Calendarização:

2008

 

Programa de financiamento:

Iniciativa Comunitária EQUAL

 

 

 

Livro Branco para a Valorização das Actividades Tradicionais

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • Publicações
  • Parceria “Ex-Libris” – Reconverter/Adaptar/Certificar o Bordado de Castelo Branco

 

Descrição / Enquadramento:

As artes e ofícios tradicionais são um bem cultural que importa e urge preservar, promover e valorizar enquanto potencial de uma identidade cultural própria, determinante para a economia e desenvolvimento dos territórios e regiões.
O Livro Branco é o contributo de duas Parcerias de Desenvolvimento para as reflexões que outros territórios poderão desenvolver sobre as problemáticas associadas às atividades tradicionais.

 

Elaboração Técnica / Entidades Autoras:

ADRACES – Associação para o Desenvolvimento da Raia Centro-Sul
IMC / Museu de Francisco Tavares Proença Júnior
Instituto Politécnico de Castelo Branco
Câmara Municipal de Castelo Branco
ATAHCA – Associação de Desenvolvimento das Terras Altas do
Homem, Cávado e Ave 
CEARTE – Centro de Formação Profissional do Artesanato 
Município de Marvão 
Re-Start Consulting

 

Coordenação Técnica:

ADRACES – Associação para o Desenvolvimento da Raia Centro-Sul - [Teresa Magalhães]

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

ADRACES – Associação para o Desenvolvimento da Raia Centro-Sul - [António Realinho, Teresa Magalhães, Sara Valério, Gerardo Ribeiro, Margarida Cristóvão]
IMC / Museu de Francisco Tavares Proença Júnior - [Aida Rechena, Celeste Ribeiro]
Instituto Politécnico de Castelo Branco - [Fernando Raposo, José Silva, Fernando Barbosa]
Câmara Municipal de Castelo Branco - [Pedro Moreira]
Espaço e Desenvolvimento – Estudos e Projectos, Lda.
Bordadoras: Alice Gordino, Gracinda Marques, Maria de Jesus Pinto, Rosário Sanches

 

Editores:

Parceria “Ex-Libris”:
ADRACES – Associação para o Desenvolvimento da Raia Centro-Sul, IMC/ Museu de Francisco Tavares Proença Júnior, Câmara Municipal de Castelo Branco e Instituto Politécnico de Castelo Branco.

Parceria “Post-Libris”:
ADRACES – Associação para o Desenvolvimento da Raia Centro-Sul, IMC/ Museu de Francisco Tavares Proença Júnior, ATAHCA - Associação de Desenvolvimento das Terras Alto do Homem, Cávado e Ave, Município de Marvão,
CEARTE - Centro de Formação Profissional do Artesanato.

 

Design e Produção Gráfica:

DallDesign, Unipessoal, lda.

 

Tiragem:

500 Exemplares

 

ISBN:

978-989-95138-4-6

 

Calendarização:

Novembro de 2008

 

Programa de Financiamento:

Iniciativa Comunitária EQUAL

 

 

 

Campus Europeu de E-Learning para o Desenvolvimento Rural

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • Cooperação Transnacional
  • Desenvolvimento Local
  • Formação
  • Inovação
  • Novas Tecnologias

 

Descrição:

Face às necessidades de formação que se conhecem e são sentidas pelos Técnicos e Agentes de Desenvolvimento Local Europeus e tendo em conta os variadíssimos obstáculos com que diariamente se deparam no respeitante ao acesso a formação contínua dentro do seu domínio profissional assume-se este projeto como de relevância crucial, mesmo à partida. No entanto, a sua real importância poderá ser aferida de forma real, após a realização das primeiras fases do mesmo, pois prevê-se a realização exaustiva de um levantamento e respetiva análise das necessidades de formação e aquisição de competências por parte dos profissionais desta temática tão importante para a coesão e desenvolvimento da U.E.

Com a operacionalização de um Campus Europeu de E-Learning para o Desenvolvimento Local/Rural será possível reunir, numa só plataforma, acessível a todos quantos o desejarem, os até agora diversificados e dispersos conhecimentos, estudos e experiências sobre o Desenv. Local/Rural produzidos em universidades e associações um pouco por toda a Europa, para além de disponibilizar conteúdos (referenciais formativos e suportes técnico-pedagógicos) concebidos, exclusivamente para o projeto, por peritos e investigadores credenciados e reconhecidos a nível global.

Desta forma, rápida e eficaz, recorrendo ao TIC, será possível ultrapassar obstáculos quase crónicos (principalmente geográficos, por serem inerentes à profissão. Os profissionais desta área, normalmente residem em áreas rurais e remotas, limitadas ao nível dos principais serviços de educação). Com o simples acesso a um computador ligado à internet, possibilita-se aos profissionais do Desenvolvimento Local a aquisição de novas competências, a troca de experiências e a aplicação nos seus territórios de dinâmicas inovadoras e, por conseguinte, potencia-se a sua atuação junto das populações rurais, cada vez mais isoladas e distanciadas dos serviços básicos essenciais.

 

Objetivos gerais:

  • Criar uma rede Europeia em torno da temática do Desenvolvimento Local, utilizando as TIC (Plataforma de E-Learning) para a disseminação de conteúdos de forma rápida e eficaz na troca, discussão e aplicação da informação, reunindo e promovendo a inovação nas formas de aprendizagem, reforçando e sensibilizando para a política de coesão da U.E.  

 

Ações:

1 - Diagnóstico Situacional das Necessidades Formativas na área do Desenvolvimento Rural

Objetivos: 

  • Efetuar o levantamento e análise das necessidades formativas dos técnicos e agentes de DL em cada país parceiro;
     
  • Definir metodologias de implementação de instrumentos de levantamento e recolha de dados para públicos relacionados com o DL;
     
  • Mobilizar os responsáveis nacionais para a implementação do projeto;
     
  • Dinamizar e animar a parceria.

 

2 - Operacionalização do Campus Europeu de E-Learning para o Desenvolvimento Local/Rural
Objetivos:

  • Criar o E-CLoDe, plataforma de e-learning para profissionais do DL;
     
  • Assegurar a criação de E-Conteúdos subjacentes à temática do DL de acordo com o seu Ciclo de Conceção;
     
  • Produzir o Guia de Boas Práticas para a Operacionalização de Conteúdos E-Learning Colaborativo (Produto Âncora do Projeto).

 

3 - Gestão do Projeto

Objetivos:

  • Promover a boa implementação do projeto e a obtenção de resultados e produtos;
     
  • Planificar a disseminação e exploração dos resultados;
     
  • Gerir os recursos humanos envolvidos;
     
  • Os resultados a atingir são a boa implementação e gestão do projecto no seu todo, criação de hábitos consistentes de trabalho em parceria e, obtenção de resultados e produtos que satisfaçam as necessidades do público-alvo.

 

4 - Exploração de Resultados e Sustentabilidade

Um dos objetivos do projeto é que o know-how ganho durante a sua realização seja disseminado de forma eficaz para atingir a maioria das organizações do DL europeias e mundiais. Para o efeito, uma estratégia de disseminação será desenvolvida e constituída como parte integrante do projeto.
A disseminação consubstanciar-se-á num processo estruturado de atividades, protagonizado pela parceria, cujo objetivo essencial é a transferência, apropriação e incorporação das soluções inovadoras, traduzidas na testagem e aperfeiçoamento do produto desenvolvido durante o projeto.

 

5 - Disseminação do Projecto E-CloDe

Tem como objetivo tornar adequada e acessível uma ampla gama de materiais para serem utilizados pelos técnicos e organizações do desenvolvimento local a nível europeu e mundial. Ter-se-á nesta fase grande cuidado em assegurar que todas as fontes dos materiais e recursos são adequadamente reconhecidas e que todas as licenças são obtidas antes dos materiais de formação/aprendizagem e/ou recursos serem traduzidos ou disseminados.

 

6 - E-CLoDe - Medir e Avaliar

Este "package" tem dois objetivos primordiais: medir e avaliar as competências das entidades e dos técnicos envolvidos e avaliar o projeto, desde o seu início até à sua conclusão. 
O processo de avaliação de competências será efetuado pelo CAP em 4 momentos diferentes: um balanço de competências inicial e três no final de cada uma das fases que constituem o projeto, aferindo-se assim a aquisição de competências que este projeto aportou às instituições e aos técnicos nele envolvidos. 

 

Destinatários:

  • Territórios
  • Agentes
  • Instituições Ensino Superior

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

  • ADRACES – Portugal
  • APURE - ONGD – Associação para as Universidades Rurais Europeias – Portugal
  • WSTie - Wyzsza Szkola Turystyki i Ekologii – Polónia
  • SZF MMF - Szolnok College Technical and Agricultural Faculty - Hungria

 

Local de implementação:

Territórios das Entidades envolvidas

 

Resultados / Produtos:

  • O projeto E-CLoDe incorpora o princípio da “Dimensão Europeia” pois procura contribuir para o desenvolvimento e qualidade da Aprendizagem ao Longo da Vida, procurando promover alto rendimento e inovação aos sistemas e práticas neste domínio;
     
  • Focando-se numa temática fundamental no âmbito da União Europeia - o Desenvolvimento Rural/Local - e promovendo a reunião, colaboração e partilha de experiências a nível europeu, utilizando mecanismos inovadores de educação e formação à distância como as TIC, este projeto valoriza a Europa no seu todo: nas suas formas de encarar o desenvolvimento rural, as boas práticas europeias neste âmbito, promove o sentido de partilha e cooperação e ainda o sentido comum europeu em torno de um objetivo: territórios rurais mais fortes, coesos e disponíveis para preservar os seus valores;
     
  • Apesar da parceria, nesta fase de desenvolvimento do projeto, envolver somente três países da Comunidade Europeia, pretende-se, numa fase pós projeto incorporar todos os países da U.E. visando assim um verdadeiro Campus Europeu, podendo cada um dos países, dentro da temática inerente, dispor de um conjunto alargado de informação, formação e experiências práticas que poderão incorporar nos seus territórios ou apenas incrementar ou valorizar as suas competências, de acordo com as necessidades de cada país;
     
  • Sendo a entidade candidata portuguesa e sendo Portugal um país com larga experiência na aplicação de uma política comum europeia no respeitante ao Desenvolvimento Rural/Local, a incorporação, na parceria, de entidades de países integrados recentemente supôs, desde a génese da ideia de projeto, a partilha de saber e experiências neste âmbito;
     
  • São vários os impactos esperados com o desenvolvimento deste projeto, principalmente pelo seu carácter inovador, aliando formação ao longo da vida, contínua e numa ótica de reforço e aquisição de novas competências, através das TIC e da capacidade destas, em levar até aos sítios mais remotos, informação e formação de qualidade, de forma rápida e eficaz. Podemos enunciar como impactos deste projeto, os seguintes:
    • 1. Junto dos investigadores das universidades Europeias que se debruçam sobre a temática do DL, passando a ter à sua disposição um enorme leque de informação sobre as experiências práticas do DL;
       
    • 2. Junto dos técnicos e agentes de desenvolvimento local que passam a dispor de uma plataforma à qual podem aceder, de forma rápida e simples, de acordo com as suas necessidades formativas e de aquisição de competências, a recursos técnico-pedagógicos que lhes permitirão potenciar a sua atuação em prol dos territórios rurais;
       
    • 3. Junto dos estudantes Europeus pois, acedendo ao Campus Europeu de E-Learning para o Desenvolvimento Local, terão acesso a um conjunto de informação de qualidade que poderão utilizar para a realização dos seus trabalhos ou mesmo como simples material de estudo;
       
    • 4. Junto dos atores e interessados do DL Europeu em geral podendo partilhar, cruzar, discutir e aplicar experiências e boas práticas, para além de usufrir de conhecimentos altamente credenciados sobre esta temática;
       
    • 5. Junto das entidades formadoras e educadoras um pouco por toda a Europa passando estas a dispor de referenciais formativos e conteúdos técnico-pedagógicos de alta qualidade numa temática onde eles são praticamente inexistentes;
       
    • 6. Junto das autoridades Europeias e nacionais que desenvolvem e promovem políticas em torno do DL;
       
    • 7. Junto das populações rurais de toda a Europa como sendo principais e últimos beneficiários das actuações dos técnicos e agentes de desenvolvimento local mais motivados e com maiores competências. 

 

Calendarização:

2009-2010

 

Programa de financiamento:

LLP - Lifelong Learning Programme

 

 

 

Penamacor na História e na Lenda

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • Património Cultural
  • Juventude
  • Cultura
  • Património Natural
  • Património Construído
  • Património Imaterial

 

Descrição:

O Projeto "Penamacor na História e na Lenda" foi uma iniciativa jovem que pretendeu envolver Jovens de Penamacor, com idades entre os 17 e os 20 anos, despertando-os para a riqueza do Património, História e Cultural local.

 

Objetivos gerais:

  • Incentivar a criatividade dos Jovens, sensibilizando-os para a participação ativa na comunidade;
     
  • Assegurar que a participação dos jovens fosse ao nível das decisões do projeto, e não somente um simples envolvimento passivo;
     
  • Estimular a criatividade, a originalidade e a inovação através da participação num projeto associado aos valores e potencialidades da comunidade em que se inserem;
     
  • Sensibilizar os jovens para as riquezas patrimoniais existentes na sua comunidade assim como promover reflexão sobre as mesmas;
     
  • Permitir que jovens, confrontados com dificuldades no acesso a formação, informação e serviços de qualidade, pudessem participar em atividades deste cariz, integrando-os e facilitando-lhes o acesso à educação não formal, reforçando deste modo a sua integração social e uma cidadania ativa, contribuindo para uma coesão social territorial mais forte.

 

Ações:

  • Pesquisa dos temas definidos - permitir a todos os Jovens darem a sua contribuição em termos de conteúdos e métodos para atingir soluções, através de uma participação ativa ao longo de todo o projeto, mas também promover a participação ativa e contínua dos jovens;
     
  • Realização de reuniões, debates de ideias e mesas redondas, promovendo a tolerância e a igualdade, os princípios de democracia, o trabalho em equipa tendo como base uma temática que lhes proporcionará um conhecimento mais profundo sobre a sua Cultura, a sua História e o seu Património;
     
  • Realização de Visitas guiadas ao locais de interesse, nomeadamente Zona Histórica de Penamacor, monumentos de interesse, etc...;
     
  • Promoção de pesquisas conjuntas sobre conteúdos e matérias destinadas à realização de um documentário;
     
  • Workshops de dicção e colocação de voz e de representação, valorizando os seus conhecimentos e dotando-os com as competências necessárias para o desenvolvimento do projeto;
     
  • Palestras de interesse para o projeto - “O Cinema em Portugal” com o Realizador português – Joaquim Leitão;
     
  • Realização de um documentário, baseado nas ideias sobre a temática proposta, onde será possível criar momentos de interação, entreajuda e trabalho de equipa;
     
  • Organização, Calendarização e Planificação das Filmagens, ensaios para as filmagens, filmagens do documentário;
     
  • Blog (http://www.penamacornahistoriaenalenda.blogspot.pt/), onde é descrito a evolução de todo o processo;
     
  • Exercícios de avaliação: reflexão conjunta de todos os participantes na atividade ao logo de todo o projeto, de forma a identificar e melhorar, se necessário, algumas das metodologias planificadas;
     
  • Promover o intercâmbio e parcerias entre as instituições, organismos e outras entidades, de forma a se haver um trabalho em rede coordenado.

 

Destinatários:

Jovens de Penamacor, com idades compreendidas entre os 17 e os 20 anos.

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

ADRACES – Gestora e líder da parceria
Parceiro Principal - Agrupamento de Escolas Ribeiro Sanches de Penamacor 

Outras Parcerias:
- Câmara Municipal de Penamacor 
- Santa Casa da Misericórdia de Penamacor 
- Biblioteca Municipal Penamacor 
- Reserva Natural Serra da Malcata 
- Arquivo Municipal de Penamacor 
- Junta de Freguesia de Meimoa 
- Museu Dr.º Mário Pires Bento 
- Junta de Freguesia de Penamacor 
- Teatro VAATÃO 
- UBI – Universidade da Beira Interior

 

Local de implementação:

Penamacor

 

Resultados / Produtos:

  • Documentário em DVD; 
  • Blog; 
  • Exposição fotográfica; 
  • Guia de Boas Práticas;
  • Percurso Pedestre – Rota d’el Rei.

 

Calendarização:

14 de Setembro 2009 a 14 de Junho de 2010

 

Programa de Financiamento:

Programa - Juventude em Acção

 

 

 

PACA – Plano de Aquisição de Competências e Animação

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • Animação e Promoção do Território
  • Formação | Aquisição de Competências
  • Gestão de Projeto

 

Descrição:

O PACA é uma medida enquadrada no Eixo III do PRODER que apoia os GAL no desempenho das suas funções de elaboração e implementação da Estratégia Local de Desenvolvimento, onde se insere a animação do território e o acompanhamento dos projetos, bem como nas suas funções de gestão do Eixo III do PRODER, enquanto órgão intermédio de gestão.

 

Objetivos gerais:

  • Preparação e implementação da Estratégia Local de Desenvolvimento
  • Dotar o GAL dos instrumentos e competências necessárias à dinamização da Estratégia Local de Desenvolvimento
  • Divulgar a ELD junto da população do território de intervenção através de acções de informação e animação local

 

Ações:

  • Capacitar para o desenvolvimento rural/local: Dotar a ELT e GAL de competências e know-how necessários à implementação da ELD, através da realização de ações de formação/informação para a qualificação dos agentes em áreas fundamentais do desenvolvimento rural;
     
  • Promover e Divulgar a ELD, os Apoios, os Projetos e Beneficiários: Divulgação e promoção, junto da população, atores e empreendedores locais, dos conteúdos e impactos da ELD, do trabalho desenvolvido pelo GAL, dos apoios aplicáveis ao território no âmbito do Eixo III do PRODER, dos projetos e promotores;
     
  • Partilhar, Informar, Valorizar: Partilha do conhecimento, através da participação e organização de eventos de importância estratégica para a promoção e valorização do território e da ELD;
     
  • Capacitar para o Desenvolvimento da Atividade Turística: Dotar os beneficiários do sector turístico e GAL com conhecimentos e competências necessárias ao desenvolvimento da atividade turística, através da realização de ações de formação/informação que possibilitam a qualificação em áreas fundamentais para o desenvolvimento e gestão da atividade em contexto atual;
     
  • Rede PROBIS: Estrutura dinâmicas de complementaridade entre o GAL, entidade gestora, projetos, beneficiários e território. Promove sinergias e solidariedades entre os elementos da rede e torna visíveis os projetos, produtos e serviços, através do aproveitamento das sinergias e mais-valias de cada um, elevando o seu potencial;
     
  • Plataforma de Reflexão sobre o Desenvolvimento Rural: Reflexão sobre temáticas inerentes ao desenvolvimento local implicitas na ELD, cujas conclusões e recomendações são vertidas para a implementação da mesma. Plataforma constituída por 3 redes temáticas, composta por técnicos das entidades do GAL, de acordo com o sector que representam;
     
  • Observatório GAL BIS: Mecanismos de regulação, acompanhamento e avaliação que asseguram o rigor e a qualidade do processo;
     
  • Animação em rede: Ação transversal que visa a participação pro-ativa do GAL em atividades desenvolvidas em rede no âmbito do PRODER, lavadas a cabo pela Federação Minha Terra e pela RRN, com o objetivo de fazer convergir interesses, experiências, complementaridades e projetos.

 

Destinatários:

  • Coordenador e Técnicos da ETL
  • GAL
  • Beneficiários
  • Actores locais
  • População

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

  • ADRACES (Coordenador)
  • GAL
  • Beneficiários

 

Local de implementação:

Beira Interior Sul

 

Resultados / Produtos:

  • Qualificação em áreas fundamentais e atuais do DL
  • Aplicação optimizada do Eixo III do PRODER por via do acréscimo de competências dos agentes
  • Difusão massiva das medidas de apoio do Eixo III do PRODER
  • Envolvimento do GAL
  • Valorização do território e suas potencialidades
  • Beneficiários habilitados e credenciados em áreas fundamentais do desenvolvimento dos seus projetos
  • Promoção e divulgação eficaz dos projetos e seus beneficiários
  • Difusão dos impactos territoriais gerados pela aplicação do programa
  • Valorização do trabalho em parceria e em equipas pluridisciplinares
  • GAL como centro de produção de conhecimento

 

Calendarização:

2009-2014

 

Programa de Financiamento:

PRODER – Eixo III

 

 

 

POPH

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • 2.2 - Cursos de Educação Formação de Adultos
  • EFA - Geriatria
  • Modulares 

 

Descrição:

Eixo Prioritário 2 – Adaptabilidade e Aprendizagem ao Longo da Vida. O Eixo 2 tem como principal objetivo o reforço da qualificação da população adulta ativa - empregada e desempregada, contribuindo para o desenvolvimento de competências críticas à modernização económica e empresarial e para a adaptabilidade dos trabalhadores.
À semelhança do Eixo 1, também este Eixo de intervenção se insere na estratégia delineada no quadro da Iniciativa Novas Oportunidades, que expressa a ambição de possibilitar aos adultos, que já estão no mercado de trabalho sem terem completado o 9º ano ou o 12º ano de escolaridade, uma nova oportunidade.

 

Objetivos gerais:

 

  • Elevar os níveis de qualificação dos ativos - empregados e desempregados - assumindo o nível secundário como referencial de qualificação;
     
  • Alargar as possibilidades de acesso à formação por parte dos ativos empregados, através da modulação e do ajustamento das ofertas;
     
  • Garantir a capitalização das formações de curta duração, realizadas no quadro de um determinado percurso formativo, com vista à obtenção de uma qualificação correspondente a uma determinada saída profissional;
     
  • Expandir e consolidar o sistema de reconhecimento, validação e certificação de competências;
     
  • Diversificar as oportunidades de aprendizagem e de desenvolvimento de novas metodologias para a aprendizagem ao longo da vida;
     
  • Incrementar a Igualdade de Oportunidades entre ambos os sexos.
     

 

Ações:

O/a Agente em Geriatria é o/a profissional que, no respeito de imperativos de segurança e deontologia profissional, garante o equilíbrio pessoal e institucional no relacionamento interpessoal do dia-a-dia com pessoas idosas e outros profissionais e complementa o cuidado da pessoa idosa nas suas vertentes física, mental e social.

Atividades Principais:

  • Reconhecer o quadro concetual básico que caracteriza o envelhecimento na sociedade atual e diferentes contextos sociais.
  • Cuidar e vigiar pessoas idosas, selecionando e realizando atividades de animação/ocupação com os mesmos, no seu próprio domicílio e em contexto institucional.
  • Zelar pelo bem-estar da pessoa idosa, pelo cumprimento das prescrições de saúde e dos cuidados de alimentação e higiene no seu domicílio e em contexto institucional.

Área de Formação: 762. Trabalho Social e Orientação
Itinerário de Formação: 76203. Geriatria
Código e Designação do Referencial de Formação: 762191 - Agente em Geriatria
Nível de Formação: 2
1960 Horas (das quais 120h em Contexto Real de Trabalho)

 

Destinatários:

População em Idade Ativa Desempregada e com baixas qualificações.
Total de formandos: 12

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

Gestora de projeto:
ADRACES

Parceiros:
Santa Casa da Misericórdia de Penamacor; Lar Residencial D. Bárbara Tavares da Silva; Centro de Dia de S. Domingos, da Meimoa; Centro de Dia de S. Bartolomeu, de Aldeia do Bispo; Centro Social e Paroquial de Aldeia de João Pires; Centro Paroquial Nossa Senhora da Quebrada, de Benquerença; Liga dos Amigos de Aranhas. 
Câmaras e Juntas de Freguesia da Área de intervenção da ADRACES; Associações Culturais e recreativas.

 

Local de implementação:

EFA - Geriatria - Penamacor
Modulares - 4 concelhos de intervenção da ADRACES

 

Resultados / Produtos:

EFA:
Colocação de 5 formandos do Curso EFA de Geriatria a trabalhar em IPSS do concelho de Penamacor. Uma das quais ficou a trabalhar na Santa Casa da Misericórdia com cotrato a termo certo, 
JOGO - Trivial em Geriatria
Livro da Vida
Missão Almofada

 

Calendarização:

Junho de 2010 a Agosto de 2011 - EFA

 

Programa de Financiamento:

POPH - QREN

 

 

 

POPH - Modulares

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • Formação
  • 2.3 – Formações modulares certificadas
  • Modulares 

 

Descrição:

Eixo Prioritário 2 – Adaptabilidade e Aprendizagem ao Longo da Vida. O Eixo 2 tem como principal objetivo o reforço da qualificação da população adulta ativa - empregada e desempregada, contribuindo para o desenvolvimento de competências críticas à modernização económica e empresarial e para a adaptabilidade dos trabalhadores.
À semelhança do Eixo 1, também este Eixo de intervenção se insere na estratégia delineada no quadro da Iniciativa Novas Oportunidades, que expressa a ambição de possibilitar aos adultos que já estão no mercado de trabalho sem terem completado o 9º ano ou o 12º ano de escolaridade, uma nova oportunidade.

 

Objetivos gerais:

 

  • Elevar os níveis de qualificação dos ativos - empregados e desempregados - assumindo o nível secundário como referencial de qualificação;
     
  • Alargar as possibilidades de acesso à formação por parte dos ativos empregados, através da modulação e do ajustamento das ofertas;
  • Garantir a capitalização das formações de curta duração, realizadas no quadro de um determinado percurso formativo, com vista à obtenção de uma qualificação correspondente a uma determinada saída profissional;
     
  • Expandir e consolidar o sistema de reconhecimento, validação e certificação de competências;
     
  • Diversificar as oportunidades de aprendizagem e de desenvolvimento de novas metodologias para a aprendizagem ao longo da vida;
     
  • Incrementar a Igualdade de Oportunidades entre ambos os sexos.

 

Ações:

Ver quadro anexo

 

Destinatários:

População em Idade Ativa Desempregada e com baixas qualificações.
Total de formandos: 520

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

Gestora de projeto:
ADRACES

Parceiros:
Santa Casa da Misericórdia de Penamacor; Lar Residencial D. Barbara Tavares da Silva; Centro de Dia de S. Domingos, da Meimoa; Centro de Dia de S. Bartolomeu, de Aldeia do Bispo;
Centro Social e Paroquial de Aldeia de João Pires; Centro Paroquial Nossa Senhora da Quebrada, de Benquerença; Liga dos Amigos de Aranhas. 
Câmaras e Juntas de Freguesia da Área de intervenção da ADRACES; Associações Culturais e recreativas.

 

Local de implementação:

Modulares - 4 concelhos de intervenção da ADRACES

 

Calendarização:

Junho de 2010 a Agosto de 2011 - EFA

 

Programa de Financiamento:

POPH - QREN

 

 

 

Formações Modulares Certificadas – POPH ACICB

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • Formação
  • 2.3 Formações Modulares Certificadas (POPH) 

 

Descrição:

Projeto desenvolvido pela ACICB que contratou a ADRACES como Entidade Formadora Certificada 

 

Objetivos gerais:

...

 

Ações:

Ver Quadro Anexo 1

 

Destinatários:

População em Idade Ativa Desempregada e com baixas qualificações.
Total de formandos: 434 (Ver Anexo 1 e 2)

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

Entidade Promotora: ACICB
Entidade Formadora Externa: ADRACES
 

 

Local de implementação:

Concelhos: Castelo Branco/Idanha-a-Nova/Penamacor/Vila Velha de Ródão (Anexo 1)

 

Resultados / Produtos:

...

 

Calendarização

Ver Anexo 1

 

Programa de Financiamento:

POPH - QREN

 

 

 

7 Maravilhas da Gastronomia

Área(s)  temática(s) de intervenção:

  • Cooperação Nacional
  • Património Cultural 
  • Gastronomia
  • Saberes-fazer associados à cultura, história e identidade dos territórios
  • Turismo

 

Descrição:

Projeto desenvolvido em complementaridade com o concurso nacional 7 Maravilhas da Gastronomia que visa promover a gastronomia portuguesa associada à identidade dos territórios. A gastronomia Portuguesa foi elevada a Património Cultural em 2000, reconhecendo as artes culinárias como um factor de atração turística com grande importância económica. A partir da imagem do evento nacional foram definidas pela parceria atividades nacionais e territoriais, designadamente:

  • Envolvimento de cada GAL na identificação de receitas a levar a concurso nacional
  • Envolvimento dos Gal na identificação de elementos para integrar o painel de especialistas responsáveis pela selecção das 70 receitas pré-finalistas
  • Participação dos Gal no evento de lançamento do projecto 7 Maravilhas da Gastronomia
  • Direito a utilização da marca em projectos editoriais ou de wpromoção dos GAL envolvidos
  • Participação dos GAL no evento de apresentação dos finalistas e arrnque da votação
  • Colaboração e participação em reportagens televisivas ou outros media partners 
  • Divulgação no site / Maravilhas da Gastronomia dos logos e links dos GAL envolvidos
  • Presença publicitárias nas campanhas de divulgação
  • Publicação com a síntese de todas as receitas apresentadas pelos territórios dos GAL parceiros

A ADRACES, em parceria com o território contíguo da ADERES, desenvolveram territorialmente e em complementaridade com o projeto global nacional, concursos gastronómicos, participaram conjuntamente em eventos territoriais e conceberam uma publicação com a gastronomia mais representativa dos 2 territórios.

 

Objetivos gerais:

  • Promover e divulgar o património Gastronómico nacional. Os produtos da agricultura e da pesca usados na sua confeção, assim como as ligações ao território de origem;
     
  • Proceder ao levantamento do receituário dos territórios enquanto património imaterial local;
     
  • Sensibilizar e consciencializar os territórios e populações para o retorno aos hábitos alimentares saudáveis, despertando ainda o orgulho e identidade locais;
     
  • Promover as regiões envolvidas como destinos turísticos de qualidade, a partir da criação de uma forte identidade local, tendo como pontos de relevância estratégica a gastronomia local, a cultura e o potencial humano dos territórios implicados.

 

Ações:

  • Identificação e recolha de receituário tradicional a apresentar ao concurso nacional 7 Maravilhas da Gastronomia;
     
  • Identificar pessoas-recurso para integrarem o painel de especialistas responsáveis pela primeira seleção de receitas;
     
  • Participação nos eventos promovidos pela organização 7 Maravilhas da Gastronomia e respetiva produção de informação solicitada;
     
  • Conceção de publicações nacionais e territoriais.

     

Destinatários:

Populações dos territórios envolvidos

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

APRODER (GAL Coordenador)

41 GAL PRODER

2 GAL PRORURAL

 

Local de implementação:

  • Abrangência Nacional e internacional
  • Territórios dos GAL envolvidos

 

Resultados / Produtos:

  • Participação no concurso nacional 7 Maravilhas da Gastronomia – Visibilidade e promoção da gastronomia aliada à identidade dos territórios; Visibilidade dos territórios dos GAL envolvidos;
     
  • Maior representatividade territorial em torno de tema comum, com resultados expressivos para o desenvolvimento dos territórios envolvidos;
     
  • Optimização e racionalização de recursos, bem como solidificação de complementaridades e sinergias entre territórios;
     
  • Concursos territoriais – visibilidade e promoção dos produtos e saberes-fazer locais;
     
  • Publicações gastronómicas nacionais e territoriais – valorização e promoção nacional e internacional dos territórios e sua identidade, através da gastronomia:
     
    • Maravilhas da Gastronomia (publicação nacional desenvolvida por todos os parceiros sob coordenação da Federação Minha Terra);
       
    • Receituário Estrela Sul | BIS (publicação regional desenvolvida pela parceria territorial entre ADRACES e ADERES).

 

Calendarização:

01/01/2011 a 30/04/2013

 

Programa de Financiamento:

PRODER – Medida 3.4.1

 

 

 

As Danças Tradicionais da Lousa - Um Património da Beira Baixa

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • Publicações
  • Danças Tradicionais

 

Descrição:

Um olhar com alma e dedicação sobre as danças tradicionais da Lousa, além de necessário revela-se proativo e ousado, por incutir cientificidade a este repertório tradicional, potenciando a desejável e premente aproximação entre a Academia e o Terreno de pesquisa.

 

Autor:

Isabel Leal da Costa

 

Propriedade:

Junta de Freguesia da Lousa

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

Financiamento

 

Edição:

RVJ - Editores, Lda./ Av. do Brasil nº 4 r/c - Apartado 262 - 6000 909 Castelo Branco

 

Fotografia da capa:

Maria Parreira do Amaral

 

Design:

RVJ - Editores

 

Design gráfico da capa:

Tiago Leal da Costa

 

Tiragem:

500 exemplares

 

Depósito Legal Nº:

327401/11

 

ISBN:

978-989-8289-09-4

 

Calendarização:

2011

 

Programa de Financiamento:

PRODER

 

 

 

Festas e Romarias

Áreas temáticas de intervenção:

  • Património Cultural
  • Preservação e valorização do património rural 
  • Identidade e cultura tradicional local 

 

Descrição:

Trata-se de um projeto de turismo cultural, assente nos elementos distintivos e na singularidade da riqueza de fatores que o território em apreço apresenta. Portugalidade, Religiosidade, Património Cultural, Ruralidade, enfim a riqueza maior dos seus recursos endógenos, como grandes âncoras do projeto.

Aproveitando todo o potencial da região e toda a sua riqueza de atributos, pretende-se criar uma conjugação de elementos que configurem produtos de vocação turística, ajustados às necessidades da procura. E depois destes produtos estruturados, pretende-se fazer um esforço de animação e promoção, com vista à construção da imagem e notoriedade e à captação de uma maior procura para o território, estruturada para o melhor que o turismo pode trazer.

Numa região demarcada pela ruralidade, as festas e romarias ocupam um lugar de destaque nas vivências culturais com tradição no território, assentes na ideia de perpetuação da memória coletiva. São fenómenos aglutinadores de pessoas que englobam aspetos da realidade social cuja importância religiosa, económica e cultural reflete múltiplas vivências em torno de espaços considerados sagrados. Trata-se de tradições que são também manifestações da nossa identidade e evidenciam a peculiaridade histórica, social e cultural da região e suas gentes. O projeto consiste na conceção de um estudo piloto para apurar com rigor as manifestações culturais festivas de cariz religioso nas freguesias de Almaceda, Juncal, Louriçal, S. André das Tojeiras, S. Vicente da Beira, Sarzedas e Sobral, descrevendo-as e analisando-as quanto aos seus aspetos sociológico, cultural, económico, simbólico, religioso e popular e a partir do qual se realizarão um conjunto de tangíveis que valorizem e promovam o território. 

Património e Turismo são duas realidades convergentes com as estratégias territoriais, pelo que a elaboração e veiculação de discursos relacionados com a necessidade de preservar a autenticidade de rituais, festas, tradições e demais referentes culturais que, mediante um processo de valorização e ativação se remodelem em recursos turístico-patrimoniais, revela-se como uma necessidade premente, pelo que o levantamento e estudo sociológico, económico, cultural e patrimonial das festas e romarias se afigurem de relevância estratégica para essa política de intervenção territorial. Considerando a importância deste património rural e a inexistência de informação científica organizada e sistematizada que permita conhecer as realidades deste fulcral legado patrimonial, utilizando essa informação para promover e valorizar o território, impõe que se criem condições favoráveis à execução do estudo proposto, de forma experimental, piloto e disseminável para aplicação no restante território. 

Existe no território selecionado um conjunto de atrações que, se forem dinamizadas, promovidas e comercializadas pelos diversos agentes, poderão fomentar a atividade turística no território e gerar impactos positivos no desenvolvimento económico, social e cultural, surgindo este projeto como uma oportunidade e um desafio no sentido de sistematizar importante informação cultural que se encontra desagregada e desaproveitada para conferir e imprimir inovação nos produtos, captar novos mercados e despertar o interesse dos operadores por via da autenticidade, genuinidade e especificidade do território.

A importância da cultura associada ao turismo (âmbito de ação do projeto) para o desenvolvimento do território pode ser analisada numa tripla perspetiva: 
1ª – Geradora de emprego direto e indireto em atividades relacionadas com o património cultural e no desenvolvimento de produtos e atividades de vocação cultural;
2ª – Factor de localização de novos investimentos, reforçando a imagem, a competitividade e a capacidade de atratibilidade do território;
3ª – Elemento de integração social e de coesão territorial. 

O projeto, ao se constituir como uma alavanca para a definição de uma estratégia de promoção cultural e turística, é uma oportunidade para o território se evidenciar e diferenciar através da valorização de um legado cultural forte e agregador.

O projeto tem uma vertente piloto, considerando a ausência de tangíveis com as características dos propostos e uma vertente de demonstração, considerando que as metodologias a utilizar serão transferíveis para o restante território. Mais que um inventário, o estudo constitui um contributo fundamental para a valorização do património intangível associado ao turismo cultural, a partir do conhecimento profundo das atividades romeiras com fortes traços tradicionais na cultura popular. Os tangíveis que surgirão a partir do estudo serão inovadores e potenciadores de visibilidade em termos de comunicação social, de marketing territorial e de novos mercados e operadores.

O objeto, finalidade e tangíveis do projeto complementarão o tecido económico local, a partir da promoção e expansão de atividades de animação turística, culturais e de lazer associadas e que a partir do projeto são identificáveis pela possível captação de novos mercados e despertar do interesse de operadores turísticos, possibilitando ainda a promoção da fileira dos produtos locais e artesanato. A participação efetiva da comunidade perspetiva um trabalho contínuo na área da educação patrimonial, fulcral em qualquer estratégia de turismo cultural, designadamente o facto de a comunidade conhecer, valorizar e respeitar o seu património, constituindo ainda fontes de conhecimento na revelação de aspetos ainda não registados e que passarão a ser elementos perpetuados na memória coletiva do território e, que por essa via, passarão a ser elementos de atração e diferenciação do mesmo.

 

Objetivos gerais:

  • Recuperar, preservar, promover e valorizar as práticas e tradições rurais associadas à cultura religiosa, numa ótica de interesse coletivo e enquanto fator de identidade e atratividade do território, enquadradas como objeto de animação turística e fator estratégico de diferenciação e autenticidade;
     
  • Contribuir para a definição e afirmação de uma identidade cultural local peculiar e singular, único fator capaz de valorizar o território;
     
  • Desenvolver a imagem e notoriedade do território;
     
  • Preservar e divulgar as tradições culturais e religiosas e o seu contexto social e económico;
     
  • Contribuir para o desenvolvimento económico, social e cultural da região, potenciando e valorizando os recursos endógenos do território rural;
     
  • Promover o aumento da procura turística;
     
  • Contribuir para a diminuição da sazonalidade da procura turística;
     
  • Diversificar as motivações e fatores de atração turística.

 

Ações:

  • Estudo com a abordagem teórica sobre o fenómeno romeiro, que procurará enquadrar os comportamentos sociais das comunidades selecionadas em torno de usos e costumes, bem como de crenças e práticas de religiosidade popular;
     
  • Apresentação textual, fotográfica e videográfica de cada romaria que ocorre em cada uma das freguesias objeto do projeto;
     
  • Conceção e edição de materiais básicos de promoção e definição de rotas e itinerários turísticos a partir do estudo;
     
  • Definição de estratégias de promoção e valorização turística e marketing territorial e proposta de conceção e edição de materiais promocionais de qualidade, designadamente catálogos, livros temáticos, e outros; 

 

Destinatários:

População das 7 freguesias da BIS - de Almaceda (Padrão), Juncal do Campo,  Louriçal do Campo, Santo André das Tojeiras, São Vicente da Beira, Sarzedas e Sobral do Campo.

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

  • ADRACES  - Gestora do Projeto
  • Parcerias com todas as entidades vivas do território que sejam importantes e valorizem o Projeto: Juntas de Freguesia, Fabrica da Igreja, População das 7 freguesias...

 

Local de implementação:

Almaceda (Padrão), Juncal do Campo,  Louriçal do Campo, Santo André das Tojeiras, São Vicente da Beira, Sarzedas e Sobral do Campo.

 

Resultados / Produtos:

  • Estudo/Inventariação sobre o fenómeno romeiro
  • Brochura/folheto Promocional do projeto
  • Website
  • Curtas-metragens
  • Exposição de Fotografia 
  • Demarcação de Rota

 

Calendarização:

1/06/2011 a 30/06/2013

 

Programa de financiamento:

PRODER (ADERES)

 

 

 

Rede/Itinerário Gastronómico e a Cultura dos Sabores

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • Cooperação Transnacional
  • Património, cultura, história e identidade 
  • Turismo
  • Marketing Territorial
  • Rotas Turísticas
  • Gastronomia
  • Ambiente

 

Descrição:

Envolvimento de todos os parceiros com o objetivo comum de promover o desenvolvimento de ações locais e transnacionais que impulsionem e estimulem sinergias para a criação de intervenções integradas no sector da cultura e da gastronomia e contribuam para a criação e/ou consolidação da imagem de marca dos territórios envolvidos. Criar condições para o conhecimento das tradições locais relacionadas com a gastronomia, bem como valores culturais e civilizacionais através da consolidação da rede de parceiros (executam projetos comuns desde 1996), projetada a partir da criação de rotas que apresentem aspetos particulares e diferenciadores de atração capazes de sustentar o turismo dos territórios envolvidos.

 

Objetivos gerais:

  • Preservar e promover a dimensão histórica, cultural e qualitativa da gastronomia local, contribuindo para o desenvolvimento económico contra o despovoamento dos territórios rurais implicados e promovendo a criação de produtos turísticos integrados;
     
  • Promover as regiões envolvidas como destinos turísticos de qualidade, a partir da criação de uma forte identidade local, tendo como pontos de relevância estratégica a gastronomia local, a cultura e o potencial humano das regiões envolvidas;
     
  • Aproximar e correlacionar a gastronomia local e os produtos locais à indústria local, aos eventos locais e atividades turísticas, potenciando a criação de um processo de desenvolvimento renovável;
     
  • Melhorar a qualidade dos produtos, de acordo com a procura e tendências de mercado, pela troca de experiências e know-how no âmbito de todas as dimensões relativas ao turismo gastronómico, através de formas profissionais de desenvolvimento da atividade;
     
  • Sensibilizar a população para a participação ativa no projeto, através da consciencialização para o retorno aos hábitos saudáveis, despertando ainda para o orgulho e identidade local;
     
  • Criar uma rede permanente de ação coordenada e concertada.

 

Ações:

  • Estudo para a criação do itinerário dos sabores e da cultura mediterrânica: Realização de estudo que determine e referencie os elementos identitários da cultura, tradições e cultura gastronómica dos territórios envolvidos que deverão constar nas publicações a realizar. A escolha desses elementos deve basear-se em critérios de especificidade e qualidade para serem promovidos como locais “embaixadores” de cada região;
     
  • Guia e mapa com definição de rotas: A partir do estudo referenciado em 1, conceção de publicações que valorizem e promovam os territórios e sua cultura gastronómica;
     
  • Comunicação, Informação e Divulgação: Informação às Instituições e população sobre o valor da gastronomia, da cultura e da tradição, enquanto suportes do desenvolvimento local;
     
  • Atividades pedagógicas: Atividades de educação alimentar e consumo sustentável dirigidas aos estudantes e famílias, especialmente no que se refere ao processo de produção evidenciando os aspetos de saúde e vida saudável;
     
  • Conferência europeia sobre “Cultura gastronómica”: Realização de conferência, com demonstração e divulgação das regiões envolvidas. Pretende-se divulgar e impulsionar o desenvolvimento social, cultural e económico dos territórios, a partir da promoção das suas potencialidades, bem como reforçar as relações institucionais locais e transnacionais. A conferência decorrerá em Bruxelas no final do projeto para encerramento e apresentação dos produtos do mesmo;
     
  • Conceber e ativar sítio Web sobre gastronomia e percursos gastronómicos: Congregar e potenciar todos os recursos criados pelo projeto, bem como divulgar e promover as potencialidades e recursos dos territórios. Promover a oferta dos novos produtos turísticos a partir dos materiais criados ligados à cultura gastronómica, para se criarem sinergias no tecido económico dos territórios;
     
  • Eventos de Dinamização: Organização de eventos promocionais da cultura gastronómica e das tradições nos territórios envolvidos. Promover uma maior disseminação das especificidades dos locais envolvidos nos campos da alimentação e turismo;
     
  • Organização de visitas e roteiros com a comunicação social: Para promover e divulgar massivamente a cultura gastronómica do território e os produtos resultantes do projeto, foram organizados roteiros gastronómicos para a comunicação social regional e nacional. 

 

Destinatários:

  • ADL’s
  • Instituições de ensino
  • Organizações sectoriais
  • Operadores turísticos
  • População em geral

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

  • ADRACES
  • GAL´s Itália – COGAL Monte Poro (Coordenador do projeto)
  • GAL´s Grécia
  • GAL Chipre

 

Local de implementação:

Territórios dos GAL implicados no projeto

 

Resultados / Produtos:

  • Estudo territorial com perspetiva de tendências, mercados, informação para os materiais/publicações produzidas, plano de comunicação e promoção territorial;
     
  • Materiais promocionais conjuntos divulgados e promovidos internacionalmente: Guias e Mapas com percursos culturais / Rotas Turísticas;
     
  • Página Web – www.medeat.com;
     
  • Fortalecimento da imagem de marca do território por via da valorização e promoção das suas singularidades;
     
  • Reforço e valorização da imagem externa do território;
     
  • Melhor compreensão dos contextos territorial e europeu, factor que confere uma visão mais abrangente das potencialidades, soluções e inovações para o território;
     
  • Melhoria crescente da capacidade de pensar e agir conjuntamente.

 

Calendarização:

01/09/2011 a 30/08/2013

 

Programa de financiamento:

PRODER – Medida 3.4.2

 

 

 

CREmp BIS - Centro de Recursos de Empreendedorismo Feminino

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • Cooperação Nacional
  • Empreendedorismo Feminino

 

Descrição:

O CREmp BIS é caracterizado por ser um projeto de cooperação centrado no empreendedorismo feminino, a partir do qual foram desenvolvidas um conjunto de atividades com o intuito de promover e fomentar o empreendedorismo entre a população feminina da Beira Interior Sul.

 

Objetivos gerais:

Contribuir para o crescimento regional e o aumento da participação das mulheres no mercado de trabalho reforçando competências nos domínios do empreendedorismo, inovação e tecnologias da informação.  

 

Ações:

  • Criação do Centro de Recursos de Empreendedorismo Feminino na Beira Interior Sul: Ponto de atendimento, informação e acompanhamento especializado, facilitando e promovendo o empreendedorismo feminino e incentivando à criação de empresas. A ADRACES disponibilizou técnicos especializados dos gabinetes jurídicos, de formação e de planeamento e projetos, estudos e prospetiva e a Rede de Técnicos Locais da ADRACES que têm diariamente contato privilegiado com a população do território da BIS.Também é de salientar a colaboração com as entidades locais cujas áreas de atuação estão diretamente relacionadas com o empreendedorismo, empregabilidade e apoio social. Entidades a destacar: IEFP, ACICB, NERCAB, Segurança Social, Municípios de Castelo Branco, Vila Velha de Ródão, Idanha-a-Nova e Penamacor, CIMBIS. Por sua vez também foram criados um conjunto de meios de comunicação digital (site, página facebook, newsletter) com o intuito de complementar o acesso à informação no que se refere às temáticas do empreendedorismo e empregabilidade.
     
  • Criação da rede de apoio ao empreendedorismo: Criação de uma rede trabalho cooperativo de empresárias promotoras de projeto no âmbito do Programa PRODER SP3, com o intuito de fomentar a troca de experiências, metodologias de trabalho e de estimular o trabalho em parceria: Rede PROBIS (CREmp) e Rede de empreendedorismo feminino. Integração de uma rede local de apoio e estímulo ao empreendedorismo na região da Beira Interior Sul - REDEBis - sendo que a ADRACES assume o papel de parceira na rede dinamizada pela CIMBIS.
     
  • Reforço de competências: Diagnóstico e implementação de formação dirigida a empreendedoras capacitando-as com novas competências e ferramentas minorando handicaps, incrementando a sua atividade. No total foram realizadas 268h de formação, das quais: 154h - ações de formação / workshops (informática, gestão, fiscalidade e comunicação); 111h - Escola de Empreendedorismo Feminino | Oficina do Linho (estimulo ao empreendedorismo feminino); 3h - Seminário | Oportunidades de Emprego e Apoio á Empregabilidade.
     
  • Disseminação de boas práticas empreendedoras em meio rural: Disseminação de boas práticas provenientes da rede de apoio ao empreendedorismo e parceiros nacionais / transnacionais do projeto. No decorrer do projeto realizaram-se duas visitas de boas práticas. Em território nacional, na Beira Interior Sul, as empresárias locais da área do turismo e veterinária receberam um grupo de empreendedoras com atividade semelhante na região do Alentejo. Posteriormente, um grupo formado por empreendedoras da BIS e Alentejo Central deslocou-se às Astúrias com o intuito de conhecer as metodologias de trabalho do turismo rural reconhecido como sendo o mais bem organizado a nível mundial. Foi disponibilizado às empreendedoras um programa de mentoring, recorrendo a empresárias(os) estabelecidos e com vasta experiência na criação e gestão de empresas com atividade na região.
     
  • Promoção e divulgação do projeto. A promoção e divulgação do projeto realizou-se de forma concertada em diversos moldes: Foram criados materiais de promoção do projeto tais como, folhetos informativos (2500), um stand, posters rol-up (10). Na esfera digital, a promoção e divulgação do projeto realizou-se através do site, página facebook e newsletter disponibilizada a todos os beneficiários do projeto e a interessados. Nos meios de comunicação, imprensa escrita, televisão e rádio: Texto informativo na Revista Viver; Texto informativo no caderno Territórios em Rede - revista de cooperação LEADER; Reportagem de rua na TV Astúrias; Entrevista em direto no programa de rádio "Portugal em Direto" da Antena 1. Participação em feiras locais: III Feira de Artesanato e Gastronomia Estrela Sul - São Vicente da Beira; II Feira Maravilhas da Doçaria - Retaxo; IV Feira de Artesanato e Gastronomia Estrela Sul - São Vicente da Beira; Feira Agro-Agrária 2013; Concurso de ideias empreendedoras - Realizado no âmbito da parceria estabelecida para criação da Rede de Apoio ao Empreendedorismo (RedeBis).
     
  • Gestão, coordenação, monitorização e avaliação do projeto. Ao longo do projeto, a gestão da parceria foi realizada de forma presencial mas também virtual. Destaca-se a importância das TIC como facilitadoras de comunicação e ferramentas de trabalho assumindo um papel fundamental para o desenvolvimento dos trabalhos da parceria. Para uma gestão mais eficiente da informação e melhor rentabilização dos recursos humanos e financeiros do projeto, a parceria adotou também a utilização da plataforma digital "Groove" para partilhar informação, documentos, realizar reuniões da parceria e debater e/ou conceber alguns dos materiais/documentos utilizados ao longo do projeto. A avaliação do projeto foi desenvolvida com participação ativa dos diversos intervenientes do projeto nomeadamente beneficiários do projeto e através de reuniões setoriais e da observação direta e análise das atividades desenvolvidas. 

 

Destinatários:

Mulheres residentes nos territórios de intervenção da ADRACES que pretendam criar o seu próprio negócio e/ou reforçar competências nos domínios do empreendedorismo, inovação e novas tecnologias de informação

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

  • [Coordenador de Projeto]: MONTE - Desenvolvimento Alentejo Central, ACE 
  • [Parceiro]: ADRACES

     

Local de implementação:

Beira Interior Sul

 

Resultados / Produtos:

RESULTADOS:

Foram criados um conjunto de atividades / serviços de apoio ao empreendedorismo que tornaram possível auxiliar, particularmente as mulheres da Beira Interior Sul, no desenvolvimento das suas ideias de negócio, criação das suas empresas ou até mesmo na redefinição de novas estratégias em empresas já consolidadas. Destacam-se os resultados alcançados:

  • Número de atendimentos realizados: 253

No decorrer do projeto foi criado um ponto de atendimento específico para prestação de informação e acompanhamento especializado aos empreendedores. 

  • Número de empresas criadas: 2

Da intervenção da ADRACES junto da população feminina da BIS surgiu a criação de duas empresas na área do artesanato (tecelagem) e outra na área da costura. A empresa de artesanato emerge a partir da participação da empresária na Escola de Empreendedorismo Feminino. No que se refere à empresa na área da costura, esta surge como ideia embrionária num atendimento realizado e que a partir daí foi sendo acompanhada até se formalizar enquanto empresa.

  • Horas de formação realizadas: 268h

Disponibilizaram-se formações nas áreas identificadas pelos beneficiários permitindo a aquisição ou o reforço de competências fundamentais para o desenvolvimento ou gestão das suas ideias de negócio/empresas.

  • Criação da Rede PROBIS / CREmp | Criação da Rede de Empreendedorismo Feminino

Através destas redes foi possível promover sinergias e solidariedades entre os seus participantes de forma a tornar visíveis os projetos, ações, produtos e serviços que criam sustentabilidade e dignificam os destinatários e as organizações que entre si vão unificar esforços e aproveitar as sinergias de uns e de outros.

  • Integração da ADRACES na REDEBis

Assinatura do protocolo de parceria em fevereiro de 2013. São parceiros da REDEBis a ADRACES, Comunidade Intermunicipal da Beira Interior Sul, Município de Castelo Branco, Município de Idanha-a-Nova, Município de Vila Velha de Ródão, Município de Penamacor, Instituto Politécnico de Castelo Branco, Associação Centro de Apoio Tecnológico Agroalimentar de Castelo Branco, Associação Comercial, Industrial e Serviços de Castelo Branco, Idanha-a-Nova e Vila velha de Ródão, Associação do Cluster Agroindustrial do Centro, Associação Empresarial da Região de Castelo Branco, Centro Municipal de Cultura e Desenvolvimento de Idanha-a-Nova.

  • Criação de uma página facebook e newsletter para divulgação de informação de interesse relativa às temáticas do empreendedorismo e empresas. 

Estas ferramentas alternativas de ensino e aprendizagem permitem aos empreendedores o acesso à informação de forma simples, rápida utilizando canais de comunicação privilegiados na sociedade atual.

Do ponto de vista da parceria também é importante salientar o papel fundamental que as novas tecnologias da informação tiveram na gestão da parceria. A utilização destas ferramentas de comunicação (Skype, groove, facebook) permitiu à parceira rentabilizar recursos e facilitou, de igual modo, a aproximação das entidades envolvidas. 

PRODUTOS:

  • Manual do empreendedor
  • Diagnóstico: Caraterização socioeconómica da Beira Interior Sul

 

Calendarização:

Início: 01/09/2011
Fim: 31/08/2013

Duração: 23 meses

 

Programa de financiamento:

PRODER

 

 

 

Mistérios da Semana Santa em Idanha

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • Publicações
  • Mistérios da Semana Santa em Idanha

 

Autores:

António Catana e Hélder Ferreira

 

Textos:

António Catana

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

ADRACES integra um dos parceiros principais do projeto

 

Editores:

Progestur.net

 

Fotografias:

Hélder Ferreira e Valter Vinagre

 

Ilustrações:

Paulo Longo

 

Tradução:

Sofia Machado

 

Design e Capa Cover:

André Lopes

 

Revisão de textos:

Paulo Longo e Manuela Antunes Catana

 

Impressão:

Selecor

 

Tiragem:

1200 exemplares

 

ISBN:

978-989-20-2981-8

 

Depósito Legal Nº:

341866/12

 

Calendarização:

2012

 

Programa de Financiamento:

PRODER

 

 

 

Tejo Vivo

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • Cooperação Transfronteiriça
  • Ambiente 
  • Recursos naturais 
  • Cultura, história, identidade 
  • Turismo

 

Descrição:

Constituição da Rede Tejo Vivo, formada pelas diversas ADL de Portugal e Espanha cujo elemento unificador é o Rio Tejo, para a promoção dos respetivos territórios em torno de uma marca e identidade próprias associadas ao maior rio da península ibérica, incrementando a sua utilização como um importante recurso no desenvolvimento das diversas regiões envolvidas, atuando conjuntamente na área do turismo, ambiente e cultura. Com esta rede pretende-se conjugar esforços dos diversos territórios para a criação de condições capazes de unir agentes e entidades, divulgar produtos e recursos e valorizar o património natural e cultural dos territórios envolvidos. Pretende-se com o projeto realizar iniciativas planeadas no âmbito de uma estratégia comum de escala local, regional e ibérica, que visam alcançar o desenvolvimento económico, social e ambiental dos territórios, criando condições para a fixação de atividades económicas e para a permanência das populações nos territórios do Tejo.

 

Objetivos gerais:

  • Contribuir para o desenvolvimento social, económico e ambiental dos territórios portugueses e espanhóis situados junto ao Tejo;
     
  • Definir e implementar estratégias territoriais de cooperação inovadoras, conjuntas e sustentáveis, enquanto elemento chave para a competitividade e para o desenvolvimento rural dos territórios do Tejo;
     
  • Criar uma imagem do projeto e afirmar os territórios do Tejo enquanto destino turístico detentor de várias potencialidades e produtos turísticos;
     
  • Valorizar e preservar o património natural, cultural e histórico dos territórios do Tejo contribuindo para o seu desenvolvimento sustentável;
     
  • Consolidar a identidade do meio rural espanhol e português através do reforço de uma marca própria associada ao rio Tejo, enquanto recurso essencial para o desenvolvimento dos territórios;
     
  • Maior atratividade dos territórios em torno do Tejo, criando condições para fixar atividades económicas e população.

 

Ações:

  • Criação da Identidade Tejo Vivo: Criação de uma identidade comum partilhada por todos os parceiros e que irá reforçar, identificar e diferenciar os territórios pertencentes ao projeto. Criação de regulamento que defina as normas e regras da sua aplicação para evitar o seu uso indevido e/ou incorreto;
     
  • Constituição da Rota Turística Tejo Vivo: Elaboração e sinalização de uma rota turística ibérica que congregue as potencialidades e recursos culturais, ambientais e patrimoniais dos territórios em torno do Tejo. Criação de oferta conjunta de um produto turístico atrativo que contribua para o aumento do número de visitantes e turistas, que se constitua como uma âncora de desenvolvimento do turismo nestes territórios, originando sinergias no tecido económico e factor de progresso cultural e ambiental de todos os que fazem parte dos territórios envolvidos;
     
  • Eventos de dinamização: A organização e participação em eventos de dinamização e animação do Tejo Vivo pretende impulsionar o desenvolvimento social, cultural e económico dos territórios, através de atividades desenvolvidas em conjunto pela rede que promovam os territórios e as suas potencialidades em torno do Tejo e contribuam para o fortalecimento das relações institucionais estabelecidas entre os parceiros;
     
  • Momentos de reflexão – Momentos de encontro: Sessões de trabalho entre todos os membros da rede de parceiros Tejo Vivo, com o objetivo de potenciar as complementaridades, diversidades e heterogeneidades dos territórios, permitindo a partilha de experiências e conhecimentos entre os GAL, proporcionando novas oportunidades de desenvolvimento para os territórios em torno do Tejo. Organização de workshops e seminários, intercâmbios culturais e desportivos, participação em feiras, etc.;
     
  • Centros de interpretação Tejo Vivo: Módulo expositivo constituído por equipamentos multimédia cuja finalidade é permitir que o público em geral consiga interpretar, conhecer e valorizar o Rio Tejo (história, importância geográfica, recursos turísticos, culturais, ambientais,….);
     
  • Atividades pedagógicas para a comunidade escolar: Para estimular a aprendizagem da comunidade escolar dos diferentes territórios do Tejo, prevista a concretização de atividades pedagógicas, designadamente jogos didáticos que valorizem as potencialidades, características e recursos do Rio Tejo e a importância que este assume no desenvolvimento dos territórios. Incutir atitudes sociais mais responsáveis na preservação e conservação deste importante recurso natural;
     
  • Educação e sensibilização ambiental: Para chamar a atenção para a existência de vários problemas ambientais que o rio enfrenta, realização de ações de sensibilização sobre a utilização racional da água e a necessária preservação da sua qualidade;
     
  • Comunicação, informação e divulgação: Participação em feiras e outros eventos, viagens promocionais com operadores turísticos, conceção de material promocional multilingue e merchandising, exposições temáticas itinerantes, publicidade na comunicação social, construção de plataforma eletrónica que difunda e promova os objetivos, parceiros, recursos, territórios pertencentes ao Tejo ...;
     
  • Monitorização e avaliação: 2 momentos de avaliação: 1 no final do primeiro ano, no sentido de analisar objetivos e redirecionar práticas; 1 no final do projeto para análise de resultados.

 

Destinatários:

Populações dos territórios do Tejo

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

  • 6 GAL´s  Portugueses (Coordenador de Projecto TAGUS)
  • 12 GAL´s Espanhóis

 

Local de implementação:

Territórios portugueses e espanhóis junto ao Tejo

 

Resultados / Produtos:

  • Constituição da rede transnacional de cooperação Tejo Vivo, cujo elo de ligação é o maior rio da Península Ibérica - o rio Tejo;
     
  • Inventário dos recursos naturais e patrimoniais dos territórios do Tejo;
     
  • Rota turística conjunta em torno do Tejo para valorizar os recursos culturais, naturais e patrimoniais dos territórios;
     
  • Identidade comum: TEJO VIVO;
     
  • Existência de um sistema conjunto de informação transnacional (centros de interpretação TEJO VIVO);
     
  • Plataforma eletrónica TEJO VIVO como ferramenta chave para a cooperação e divulgação dos produtos e resultados do projeto e promoção dos territórios;
     
  • Relações entre as associações de desenvolvimento local portuguesas e espanholas mais sólidas;
     
  • Aumento do fluxo turístico para as regiões TEJO VIVO, com gastos diretos na hotelaria e restauração.

 

Calendarização:

12/07/2012 a 11/06/2014

 

Programa de financiamento:

PRODER – Medida 3.4.2

 

 

 

Animação do Território (outras atividades relevantes) - Ano 2013

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • Animação territorial
  • Informação / Formação
  • Cidadania
  • Cultura, património
  • Turismo
  • Ambiente
  • Gastronomia

 

Descrição:

Desenvolvimento de atividades diversas e complementares aos projetos principais coordenados pela entidade, cuja implementação é da responsabilidade dos Pólos de Desenvolvimento Local ADRACES, sediados em Castelo Branco, Idanha-a-Nova e Penamacor, com o objetivo de animar, valorizar e promover o território e suas gentes.

 

Objetivos gerais:

CulBIS

  • Promover ações mensais de reflexão em formato de tertúlia sobre temáticas de relevo cultural e ambiental nos 4 concelhos – 12 meses – 12 temas.

Eva Dream

  • Sob a marca Eva Dream, de incidência nacional, florir 1 aldeia da BIS para servir de aldeia piloto para o resto do território;
     
  • Promover o turismo, os produtos locais, o artesanato, ...;
     
  • Promover a auto-estima das populações.

 

I Festival das Migas de Peixe

  • Valorizar e promover o território e seus agentes e sectores através da promoção da cultura gastronómica;
     
  • Promover parcerias locais e nacionais.

 

Ações:

CulBis
Iniciativa que visa a valorização territorial, pretendendo-se dinamizar e divulgar o debate sobre o potencial histórico, cultural e turístico da região, sensibilizando para as mais-valias endógenas, envolvendo as gentes locais, num enquadramento promocional a nível regional e nacional, dando a conhecer a enorme riqueza histórico-cultural do território, que certamente irá atrair turistas e gerar as mais-valias sócio-económicas tão desejadas. As tertúlias da BIS tiveram início no mês de Janeiro até final do ano. Estes debates, para além de colocarem as temáticas sob uma perspetiva cultural, abordarão também as vertentes turísticas e socioeconómicas. É mais uma aposta no nosso património histórico e cultural, nos recursos endógenos e nas capacidades das gentes da BIS, que provam merecer um lugar de destaque entre as atividades económicas e no contexto social e cultural do país, afirmando um conceito de sustentabilidade que muito beneficia os destinos e as regiões de maior riqueza patrimonial, como é o caso.

  • Janeiro – Castelo Branco – Os Templários no território
  • Fevereiro – Penamacor – Ribeiro Sanches, de Penamacor a S. Petersburgo
  • Março – Idanha-a-Nova – Os Mistérios da Semana Santa
  • Abril – Vila Velha de Ródão – Gastronomia da Beira (As Migas de peixe)
  • Maio – Castelo Branco – A obra de Cargaleiro
  • Junho – Penamacor – Serra da Malcata e outras riquezas naturais
  • Julho – Idanha-a-Nova – Terras Lusitanas, Terras de Viriato (Período Romano)
  • Agosto – Vila Velha de Ródão – As lendas e os mitos do território
  • Setembro – Castelo Branco – O Bordado de Castelo Branco
  • Outubro – Penamacor – O Contrabando na Raia/Património histórico do concelho
  • Novembro – Idanha-a-Nova – Vida e obra de Fernando Namora
  • Dezembro – Vila Velha de Ródão – As Gravuras Rupestres

 

Eva Dream
Em parceria com a PROGESTUR, a Câmara Municipal de Penamacor, a Junta de fereguesia de Aldeia de João Pires e outras instituições e empresas locais, lançamento e implementação do evento “Vamos Florir a Aldeia de João Pires?” - Uma ideia original de Tó Romano/Eva Dreams à qual nos associámos, tentando fazer da aldeia de João Pires um exemplo para o resto do território e para o País, tornando esta aldeia um local de interesse turístico através da valorização dos seus produtos endógenos, dando-lhe uma dinâmica cultural regular e tornado-a atrativa pela sua beleza a todos que a queiram visitar, sendo as FLORES o estímulo principal e impulsionador das restantese ações. Tratou-se de um evento integrado e desenvolvido em toda a aldeia, contando com oferta de flores, gastronomia, exposições, música, artesanato, produtos regionais, debates, concurso “João Pires Florida”.

 

I Festival das Migas de Peixe

  • Atividade principal (Gastronomia): presença de chefes, show-cooking, cursos de cozinha, receitas tradicionais, espaço de gastronomia com serviço ao público;
     
  • Concursos de melhor miga de peixe: restaurantes do concelho “Miga das gentes de VVR”;
     
  • Mostra de produtos regionais e artesanato;
     
  • Debates: “a gastronomia da BB”, pelo Especialista José Silva e o chefe Nuno Diniz;
     
  • Atividades de Lazer: passeios pelo Tejo, visita às gravuras rupestres, workshops de tear tradicional, visitas guiadas ao centro de interpretação e lagares, rota da indústria pelas fábricas de papel, ...;
     
  • Programação musical: orquestra sinfónica do norte; grupos de música tradicional locais;
     
  • Forte presença da Comunicação social regional e nacional (RTP, TSF, Expresso-Escape).

 

“Portugalidade: BIS um destino de tradições culturais”

  • Colaboração com a Progestur na realização dos trabalhos de levantamento territorial para o estudo;
     
  • Publicações de promoção e valorização do território.

 

Destinatários:

  • População da BIS
  • Entidades públicas e privadas
  • Entidades sectoriais
  • Empresas

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

 

  • ADRACES (Coordenador)
  • Progestur
  • Tó Romano
  • Câmaras Municipais da BIS
  • Juntas de Freguesia da BIS
  • Entidades sectoriais

 

Local de implementação:

BIS

 

Resultados / Produtos:

  • Estudo “Portugalidade: BIS um destino de tradições culturais”;
  • Tangíveis diversos de promoção territorial;
  • Maior visibilidade do território em termos nacionais;
  • Maior relevância estratégica de temáticas relacionadas com a cultura, ambiente e turismo.

 

Calendarização:

2013

 

 

 

Música para o Mundo – Resgatar e Valorizar a Música Tradicional da Beira Baixa

      

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • Património Cultural
  • Preservação e valorização do património musical  rural 
  • Identidade e cultura tradicional local 
  • Músicas do Mundo

 

Descrição:

A região da Beira Baixa possui um dos mais ricos e diferenciados patrimónios de música tradicional no país. 
Os primeiros estudos e registos feitos sobre a música tradicional da Beira Baixa foram realizados nos anos 60 por M. Giacometti e Lopes Graça, tendo sido publicado um arquivo musical - temas tradicionais antigos, melodias, ritmos, danças e tradições com origem na antiguidade mais remota. 

As tradições musicais da Beira Baixa combinam culturas diferentes e diversas: dos povos Romanos, Islâmicos (Mouros), Judaica, Celta e Cigana, que deixaram a sua marca e herança diversa e rica nesta região. A região da Beira Baixa desenvolveu assim uma musicalidade própria, distinta da de outras tradições da música em Portugal, que se individualiza e distingue, possuindo uma identidade musical que é própria e diferente.

Na região existem instrumentos musicais dos quais persistem apenas um ou dois exemplares, existem gravações antigas de cantores da região e com lacunas de gravação, bem como registos de música e dança que, dentro de poucos anos, podem desaparecer completa e irremediavelmente. Muito deste legado musical ainda hoje existente, espera a oportunidade para ser descoberto e dado a conhecer ao mundo.

Neste enquadramento, o projeto Música para o Mundo realizou um conjunto de tangíveis a partir da inventariação das principais características da música tradicional, desde melodias, letras, instrumentos, tocadores e cantores. Para tal, procedeu-se a pesquisa documental profunda e recolheu-se um exaustivo acervo de informação sobre as tradições musicais, gravadas no campo e in loco, a par do conhecimento e recolha das gravações já existentes e da literatura acerca do legado musical da região, instrumentos musicais, tradições, cerimónias, rituais, religião e folclore. A partir deste trabalho exaustivo, procedeu-se à seleção do mais apropriado e valioso material para a realização dos diferentes produtos que pretendem valorizar o património cultural do território e levá-lo ao conhecimento do mundo.

Os tangíveis criados sobre a música tradicional da Beira Baixa contribuem para a valorização, preservação e divulgação da música tradicional da Beira Baixa, preservando os costumes e modos de vida antepassados ligados à música popular tradicional.

O projeto previu e realizou a criação de 6 elementos que valorizam e divulgam a cultura musical local: 

  • 2 CD’s de música tradicional local; 
  • 2 CD’s originais de música tradicional com arranjos contemporâneos; 
  • 1 DVD - documentário promocional da música da Beira Baixa; 
  • 1 publicação de promoção da música tradicional local e valorização do projeto e do território a partir do legado musical;
  • 1 folheto informativo.

 

Objetivos gerais:

Os principais objetivos do projeto que foram integralmente cumpridos foram:

  • Preservação e valorização da música tradicional da Beira Baixa, e modos de vida e costumes a ela associados;
     
  • Divulgação da música tradicional da Beira Baixa, integrando-a numa das correntes com maior visibilidade no panorama musical que é a World Music;
     
  • Inventariação do repertório musical tradicional da Beira Baixa, a partir da realização de 1 estudo aprofundado;
     
  • Criação de produtos disseminadores da cultura musical local (2 CDs de música tradicional local; 2 CD de música tradicional com arranjos contemporâneos; 1 DVD documentário promocional da música da Beira Baixa; 1 publicação de promoção do projeto; uma publicação de valorização da música tradicional e do território);
     
  • Atribuir à música tradicional um "tom" de inovação, com sonoridades mais modernas e que cheguem ao público mais jovem e cosmopolita.

 

Ações:

A operação consistiu na realização de um estudo e recolha aprofundados das tradições musicais da Beira Baixa e a partir dessa pesquisa, foram criados diversos tangíveis (CDs, DVD - documentário; Publicações) que, por um lado, divulgam e preservam as tradições musicais mais antigas da região, e por outro, as recupera e associa à época atual criando novas composições e interpretações de ritmos, tonalidades e instrumentos, com o fundamento principal de preservar uma das maiores riquezas do património imaterial da região da Beira Baixa, e dando-o a conhecer ao Mundo, através da sua integração na World Music.

 

Metodologia:

Feita a inventariação das principais características da música tradicional, desde melodias, letras, instrumentos, tocadores e cantores, fazendo ainda um estudo sobre as origens e influências da música da região da Beira Baixa. Para tal, trabalhou-se de acordo com a seguinte metodologia:

  • Visitas em todo o território da Beira Baixa;
     
  • Pesquisa documental;
     
  • Acervo de informação sobre as tradições musicais, gravadas originalmente no campo, in loco, a par do conhecimento e recolha das gravações já existentes e da literatura acerca do legado musical da região, instrumentos musicais, tradições, cerimónias, rituais, religião e folclore;
     
  • Seleção do mais apropriado e valioso material musical tendo em consideração os seguintes aspetos: originalidade, antiguidade, os que representam os valores e os elementos individuais que têm vindo a contribuir para valorizar a tradição da região;
     
  • Realização/Redação;
     
  • Conceção e edição dos produtos.

 

Parceiros:

Todas as entidades e pessoas envolvidas na recolha, produção, conceção e realização dos conteúdos dos tangíveis.

 

Local de implementação:

Todas as freguesias da BIS

 

Resultados / Produtos:

Os produtos resultantes da implementação do projeto são:

  • Folheto Informativo: Trata-se de um instrumento informativo e de difusão alargada das principais características da música da Beira Baixa, seus instrumentos, tocadores, etc.;
     
  • 1 DVD - Documentário: A partir dos resultados do estudo foi elaborado um filme / documentário promocional da música da BB com o registo de músicas, sons e testemunhos, funcionando como filme promocional e de apresentação da região e do seu património musical;
     
  • 4 CD’s: Realizados 4 CDs de música tradicional que funcionam como apresentação final do que de melhor existe na região em termos de música tradicional, valorizando as várias vertentes da música tradicional da Beira Baixa, nomeadamente a promoção da música tradicional local “pura”, com instrumentos tradicionais e repertório local, dando a conhecer as raízes da música local e disseminando-a, contribuindo para que este legado não se esqueça/perca: CD Viola Beiroa e CD Quintarolas. Por outro lado, foram realizados 2 CD de originais, editados e produzidos com base nas recolhas originais complementadas com novos arranjos. Estes CD’s funcionam como o elemento diferenciador do projeto, no sentido de disseminá-los em larga escala, colocando-os no centro da World Music;
     
  • Estudo/Inventariação sobre o Património Musical da Beira Baixa: Estudo aprofundado, que inventariou as principais características da música tradicional, desde melodias, letras, instrumentos, tocadores e cantores, fazendo ainda um estudo sobre as origens e influências da música da região da Beira Baixa;
     
  • Publicação de valorização do território pela música.

 

Calendarização:

1/10/2013 a 24/03/2015

 

Avaliação da execução:

O projeto decorreu de acordo com o estruturado e planeado, tendo sido executado na totalidade das metas propostas em candidatura. Não se verificaram desvios, dificuldades ou estrangulamentos em termos de realização, execução e implementação do projeto e construção dos tangíveis.

 

 

 

Centro de Informação Europe Direct CIED BIS

      

      

Área(s) temática(s) de intervenção:

  • Informação europeia
  • Políticas, programas e oportunidades 
  • Direitos dos cidadãos

 

Descrição: 

A ADRACES - Associação para o Desenvolvimento da Raia Centro-Sul acolhe o Centro de Informação Europe Direct - Beira Interior Sul durante o período de 2013-2017. 

Atualmente, a rede de Centros Europe Direct em Portugal inclui 19 centros. Esta rede é apoiada pela Comissão Europeia através da sua Representação em Portugal e a sua missão é:

  • permitir, a nível local, que os cidadãos disponham de informações, orientação, assistência e respostas a perguntas sobre as instituições, legislação, políticas, programas e possibilidades de financiamento da União Europeia;
     
  • promover ativamente o debate sobre a União Europeia e as suas políticas, a nível local e regional;
     
  • permitir às instituições europeias melhorarem a difusão da informação adaptada às necessidades locais e regionais;
     
  • permitir ao público enviar reações às instituições da União Europeia sob a forma de perguntas, opiniões e sugestões.

 

Objetivos gerais: 

  • Assegurar o interface entre os cidadãos e a União Europeia a nível local, incentivando a participação e implicação dos cidadãos da BIS no processo de (re)construção da Europa, enfocando-se as abordagens na importância dos inputs e valor acrescentado da UE no território, os benefícios da cidadania europeia, e as prioridades e nova geração de políticas públicas e respetivos princípios e domínios de intervenção – é fundamental que os cidadãos continuem a considerar a UE como a entidade mais eficaz, paralelamente aos governos nacionais, para fazer face aos efeitos da crise económica com os respetivos benefícios da cidadania europeia;
     
  • Colocar o território a pronunciar-se e contribuir ativa e colaborativamente na produção de reflexões sobre a UE e suas políticas, designadamente as iniciativas para o crescimento, a estabilidade e a modernização dos mercados de trabalho para criar emprego, bem como as ajudas aos mais pobres e socialmente desfavorecidos e excluídos; 
     
  • Constituir um centro de produção e sistematização de conhecimento, permitindo às diversas instituições europeias a possibilidade de disseminarem informação concebida e difundida à medida das necessidades locais e regionais, facilitando ao cidadão o acesso direto à informação, ao aconselhamento e encaminhamento especializado sobre todas as questões relacionadas com a UE;
     
  • Criar dinâmicas de corresponsabilização que garantam a coesão social, por via da participação democrática das comunidades e territórios na construção e definição de políticas e abordagens que favoreçam o desenvolvimento local e rural e o coloquem na agenda prioritária da União Europeia; 
     
  • Estimular a reflexão e o debate sobre a estratégia “Europa 2020”, em particular no que se refere à importância das iniciativas e ao seu grau de ambição para se sair da crise e enfrentar os novos desafios globais – cidadãos informados são cidadãos ativos;
     
  • Minimizar os resultados da crise estrutural e, em resultado da mesma, trabalhar mais estreitamente e em conjunto com as restantes regiões e estados-membros.

 

Ações:

  • Serviço de informação: atendimento presencial, telefónico e eletrónico aos cidadãos esclarecendo as suas dúvidas relativamente a questões europeias; Disseminar informação europeia de interesse dos cidadãos e entidades locais ajustada à realidade e necessidades do território; Gestão de uma base de dados de utilizadores para envio sistematizado de informação e inquéritos de satisfação e avaliação que tornem possível a medição da eficácia do Centro e poder assumir atitudes proactivas de ajuste;
     
  • Conceção e dinamização de instrumentos de comunicação digital dirigidos ao público-geral para disseminação de informação europeia: site, página Facebook, canal Youtube e newsletter.
     
  • Centro de documentação europeia (publicações, legislação, instituições europeias, etc) disponível para consulta pelos cidadãos.
     
  • Conceção e edição de publicações:
    •  “Ecos Europeus na BIS” que reflete sobre a influência da UE no território rural particularmente na Beira Interior Sul;
       
    •  "Caderno de Boas Práticas - Projeto de Educação Alimentar". Publicação que agrega um leque de atividades pedagógicas na área da educação alimentar com o intuito de formar cidadãos mais atentos e preocupados com a sua saúde, mais alerta para questões ambientais, nomeadamente o desperdício alimentar ou a produção agrícola sustentável, a gestão e economia dos bens alimentares numa perspetiva local e global, entre outros.
       
  •  Conceção e edição de material audiovisual relativo a questões europeias:
    •  “O coração da Europa em Portugal”. Vídeo de promoção e sensibilização dos cidadãos para a intervenção da UE na Beira Interior Sul;
       
    • Série de 7 vídeos intitulada “A Europa Responde”. Cada vídeo com formato pergunta/resposta pretendeu elucidar os cidadãos sobre questões europeias identificadas pelos mesmos.
       
  • Emissão do programa de rádio “Viver Europa”: 

Programa de caráter informativo que faculta à população local informações europeias de índole prático e útil no dia-a-dia dos cidadãos. 
Cada programa tem uma duração média de 2 minutos e é transmitido semanalmente (3ª feira) na Rádio Castelo Branco (92.0 FM).

  • Participação em iniciativas de promoção/informação alargadas, como feiras, exposições, mostras de atividades realizadas por entidades parceiras, designadamente Câmaras Municipais dos 4 municípios da ZI, com gabinete de atendimento ao público identificado e instalado no seio da entidade acolhedora.
     
  • Participação em eventos como seminários, debates, concursos, entre outros organizados por entidades locais nomeadamente da área empresarial/empreendedorismo, educação e juventude a fim de aproximar os públicos envolvidos às políticas e oportunidade europeias existentes.
     
  • Realização de ações de sensibilização dirigidas a crianças e jovens, das quais se destacam:
    •  “Nós e a UE | Para uma Cidadania Ativa” – Sessão de sensibilização no âmbito do Ano Europeu dos Cidadãos;
       
    •  “Europa na Escola” – Sessões de informação relativas a questões relacionadas com a cidadania europeia e as instituições europeias;
       
    •  “Cuidar das Nossas Raízes” – Sessões de sensibilização para a política agrícola e desenvolvimento rural da UE;
       
    •  “À Descoberta das Áreas Protegidas da UE” – Ação de sensibilização para as políticas europeias relativas ao ambiente nomeadamente às áreas naturais protegidas através da realização de um passeio de barco no Parque Natural do Tejo Internacional;
       
    •  “Passeio a Pedalar – a Favor da Mobilidade Sustentável” – Ação de sensibilização para promoção da mobilidade urbana sustentável através da realização de um passeio de bicicleta;
       
    •  “Workshop de Artes Performativas” | Ano Europeu para o Desenvolvimento” - iniciativa que, através do teatro e da dança, permitiu aos jovens a descoberta, reflexão e comunicação sobre a temática do Ano Europeu de forma criativa.
       
  • Realização de iniciativas para públicos específicos:
     
    •  “Volta de Apoio ao Emprego” (2013/2014/2016) – Sessões de informação relativas a empregabilidade em contexto europeu dirigidas a estudantes e jovens em início de carreira e desempregados.
       
    •  “O Desenvolvimento Local através da Europa: O caso da Beira Interior Sul”- Visitas de estudo ao território e análise de casos práticos de desenvolvimento através da ação da UE no território. Ações dirigidas essencialmente a alunos ERASMUS.
       
    •  “Visitas de multiplicadores às instituições europeias – Comissão Europeia e Parlamento Europeu”: Novembro de 2013 – Grupo constituído por representantes de entidades da educação, comunicação social, administração pública e associações empresariais; Novembro 2014 – Grupo constituído por alunos do ensino secundário e profissional; Dezembro 2014 – Grupo constituído por alunos do ensino secundário; Junho de 2015 – Grupo constituído por seniores da Academia Sénior de Penamacor, gerida pela ADRACES.
       
    •  “Mostra de Arte Reciclada” (2013/2014/2015/2016) – Exposição que pretende sensibilizar a comunidade local para a adoção de hábitos diários mais amigos do ambiente e destacar o papel e intervenção realizada pela UE no domínio do ambiente.
       
  •  Realização de eventos de grande escala como seminários, debates e conferências dirigidas à população geral onde se refletiu e discutiu sobre agricultura e desenvolvimento rural, cultura e ambiente, entre outros temas numa perspetiva europeia. 
     
  • Comemoração do Dia da Europa. Destacam-se as seguintes iniciativas:
    •  “Querida Europa… e tu, conheces?” – Espetáculo de teatro e multimédia onde se recorda a génese do projeto europeu e se apela à cidadania ativa nomeadamente à participação nas eleições europeias 2014;
       
    • “Marcha Noturna Solidária - Passo a Passo por uma Escola” – marcha noturna dirigida à comunidade em geral com o intuito de assinalar igualmente o Ano Europeu para o Desenvolvimento;
       
    • “Marcha Noturna – Somos Todos Europa” – iniciativa que visou sensibilizar a comunidade local para os princípios fundamentais da génese do projeto europeu e promover o plano da Comissão Europeia em matéria de justiça e direitos fundamentais;
       
    • Outras iniciativas em escolas nomeadamente exposições, jogos e sessões de informação relativas à história da UE e oportunidades para os jovens europeus.
       
  • Comemoração de outras efemérides importantes com grupos específicos (passatempos, concursos, jogos, ações dirigidas a escolas - crianças e jovens, mulheres, idosos, imigrantes), designadamente dia mundial da criança, dia mundial do ambiente, dia mundial dos direitos humanos, dia internacional da mulher, e outros.
     
  • Ações pontuais de sensibilização e apelo à cidadania europeia:
    • Eleições Europeias 2014: Programa de rádio “ Europa Responde” – Pergunta e resposta às dúvidas enviadas pelos cidadãos relativas a questões europeias; Sessões de sensibilização e informação tais como tertúlias, conferência “(Re)enamore-se pela Europa”, jogos pedagógicos e espetáculo de teatro direcionados particularmente para o público jovem a fim de sensibilizar para a participação nas eleições europeias e fomentar a participação dos novos votantes.
  • Publicação de textos de opinião sobre matérias europeias nomeadamente as prioridades da UE elaborados por cidadãos e entidades que desenvolvem atividade nas áreas em causa. 

 

Destinatários:

Cidadãos, empresas públicas e privadas, empresas, ….

 

Parceiros e função da ADRACES na parceria:

  • ADRACES (Coordenador)
  • Instituições de ensino
  • Câmaras
  • - ….

 

Local de implementação:

BIS

 

Resultados / Produtos:

  • Oferta de conteúdos específicos juntamente com ofertas de produtos e serviços;
     
  • Melhor e mais eficaz conhecimento das prioridades estratégicas da UE e direitos dos cidadãos;
     
  • Conhecimento geral dos serviços prestados pelo Centro;
     
  • Divulgação alargada do site e perfil de facebook do Centro;
     
  • Maior conhecimento dos serviços do Centro e consequente maior e mais eficaz utilização;
     
  • Conhecimento em idade o mais precoce possível dos direitos e deveres dos cidadãos europeus, no sentido de poderem influenciar positivamente os adultos para as questões europeias, mobilizando-os para o saber sobre as prioridades e evolução da UE;
     
  • Procura autónoma de informação sobre a UE por via do conhecimento geral sobre a mesma;
     
  • Divulgação alargada dos serviços do Centro;
     
  • Divulgação alargada junto da população em geral das questões europeias e consequente melhor conhecimento dos serviços e atividades do Centro;
     
  • Maior relação entre os cidadãos e as entidades representativas da sociedade civil com as questões da UE e suas prioridades evolutivas;
     
  • Formalizar contributos gerados pelas reflexões temáticas sistematizadas que contribuam e possam ser vertidos para a reflexão alargada sobre a Europa;
     
  • Maior sensibilização para temas importantes relacionados com os direitos humanos e questões ambientais;
     
  • Majoração do conhecimento sobre as políticas europeias para se constituir um ponto de encontro entre a UE e os cidadãos;
     
  • Maior estímulo ao debate sobre as questões europeias;
     
  • Conhecimento dos direitos dos cidadãos europeus, das instituições europeias e sua função;
     
  • Implicação dos jovens nas temáticas europeias e sua importância;
     
  • Site e facebook.

 

Calendarização:

2013-2017

 

Programa de Financiamento: 

Comissão Europeia, através da Representação da CE em Portugal

 

ADRACES © 2017 - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por: citricweb.pt