Espectáculo A Canção Raiana Perdida da ADRACES reinventa identidade cultural da Beira Baixa
11-21-2016

A ADRACES - Associação para o Desenvolvimento da Raia Centro-Sul, o Europe Direct Beira Interior Sul e a Câmara Municipal de Idanha-a-Nova apresentaram o espectáculo audiovisual e musical resultante do projecto "A Canção Raiana Perdida – Raízes Sonoras da Beira Baixa". O evento decorreu no dia 19 de novembro de 2016, pelas 21h30, no Centro Cultural Raiano, em Idanha-a-Nova.

A ADRACES previu a necessidade de apostar num projeto de inventariação, valorização e divulgação do património, sobretudo através do resgaste da música tradicional da Beira Baixa. Para isso, recorreu a um interlocutor que, com a sua visão e conhecimentos técnicos musicais, reinventou o tradicionalismo musical, numa singular fusão de culturas, recriando melodias e ritmos tradicionais do território embebidos em sons de contemporaneidade. Tom Hamilton, músico, inglês, radicado na região e apaixonado por ela e pelas suas sonoridades, foi o ator escolhido para a prossecução deste projeto de devolução de uma identidade cultural e musical que se julgava perdida.

O espetáculo de apresentação de “A Canção Raiana Perdida”, mais do que um concerto de música tradicional, com recurso a videomapping e projeção de capítulos do documentário resultante do projeto, consistiu num momento de partilha de tradições culturais e musicais únicas, inseridas num território de património natural, histórico e geológico singular, que em tudo influi na formação da cultura do povo da Beira Interior Sul. 

O espectáculo pretendeu espelhar o que ainda remanesce da pureza identitária do povo beirão, através da apresentação de pessoas e histórias do hoje, projeções do ontem e memórias do amanhã, na execução dos seus ofícios tradicionais, na laboração agrícola e pastoril e/ou nas festividades religiosas e pagãs, momentos de celebração e festa, que quebram a rotina do árduo trabalho de sol a sol. E a música em todos os momentos está presente. Nas vozes, nos cânticos rituais, nas atividades artesanais, nos sinos, nos chocalhos, no ambiente natural…

A apresentação almejou, sobretudo, dois objetivos distintos: Por um lado, dar a conhecer um legado de riqueza ímpar aos habitantes deste território que, tantas vezes, desconhecem ou descuram as suas raízes, e, por outro, transformar o palco em local de encontro dos participantes do projeto em questão. O formato do espetáculo homenageou e agradeceu a todos aqueles que, de forma profissional, informal, por puro gosto e, em muitos casos, apenas brotando de um talento inato, genuíno e intocado, têm dedicado a sua vida à preservação da identidade cultural das comunidades desta região. 

O momento contou ainda com uma terceira motivação: a de conseguir, através de um espetáculo musical e visual apelativo, com integração de novas sonoridades, arranjos melódicos e recriação de ritmos, captar o interesse dos públicos mais jovens para a valorização de uma identidade cultural, que urge ser preservada no tempo e memória futuros, sob pena de irremediável e irreversivelmente se diluir na construção das próximas gerações.

Fotos e vídeos do espectáculo disponíveis nos links abaixo:

https://www.facebook.com/pg/adraces/photos/?tab=album&album_id=1294629253890788

https://www.instagram.com/adraces.bis/

https://www.youtube.com/watch?v=oRUv_sP_0tU&feature=youtu.be

https://www.youtube.com/watch?v=4bRGrRVkwMc&feature=youtu.be

A versão integral do documentário pode ser visualizada em:

https://www.youtube.com/watch?v=7oE3-2peoPI&t=8s



Outras notícias

ADRACES © 2017 - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por: citricweb.pt