Atividade, Emprego e Desemprego
Território - BIS

O quadro sociodemográfico apresentado tem consequências diretas no mercado de trabalho. Segundo os últimos Censos, os concelhos de Penamacor, Idanha-a-Nova e Vila Velha de Ródão surgiam nas últimas posições, a nível nacional, como concelhos com as taxas de atividade e de emprego mais reduzidas (na ordem dos 30%, percentagens bastante abaixo do País, do Centro e de Castelo Branco, com taxas superiores a 50%), em especial das mulheres. Se considerarmos que a população ativa nestes concelhos tem vindo a sofrer um decréscimo considerável nas últimas décadas, detendo um peso na estrutura etária muito menor do que no País, os baixos níveis de empregabilidade tornam-se ainda mais prementes. Perante este quadro de tão baixa empregabilidade, acentuado com a regressão que tem vido a verificar-se, a meta estabelecida para Portugal em 2020 de 75% de taxa de emprego para a população entre os 24 aos 64 anos, é para estes concelhos, que estão a uma distância de quase 20%, um cenário extremamente ambicioso, que exige políticas estruturantes e adaptadas a estas realidades territoriais.

Em relação ao desemprego, o conjunto dos quatro concelhos da BIS apresentavam, em 2011, uma taxa de desemprego de 11%, valor mais baixo que a do País (13%). Recorrendo a dados recentes do IEFP, em dezembro de 2014 estavam inscritos na BIS 3.840 indivíduos desempregados, dos quais 79,9% pertenciam ao concelho albicastrense. Em igual período homólogo, a BIS registou uma diminuição de 14% de inscritos (em linha com o País e Centro), acompanhando a tendência do ano anterior, mas ainda assim com valores muito superiores aos registados em 2007 (+1.408 inscritos em dez-2014 do que em dez-2007, o que significou um aumento de 57%). O concelho de Idanha-a-Nova contrariou, no entanto, esta tendência geral, com um aumento de 12% dos inscritos (+51).

Quanto ao perfil dos desempregados, verificava-se uma relativa igualdade na repartição entre homens e mulheres (a média da BIS era 50/50), com pequena prevalência das mulheres, à exceção de Vila Velha de Ródão onde os homens correspondiam a 55% do total dos inscritos. Também em relação à distribuição por grupo etário, Vila Velha de Ródão verificava comportamento diferente, com 42% do total dos inscritos com mais de 55 anos, enquanto a média nacional e regional rondava os 24%. No geral o grupo etário com maior número de desempregados situa-se entre 35 e 54 anos (cerca de 45%). Quanto ao tempo de duração à procura de emprego, enquanto no País e no Centro a proporção entre os que estavam há menos de um ano e os que estavam há mais era praticamente igual, nos concelhos da BIS os desempregados inscritos há mais de um ano estão em maioria, com destaque para Vila Velha de Ródão (60,6%).

Por último, em relação à repartição dos desempregados por nível de escolaridade, Castelo Branco acompanha a tendência do País e do Centro, com uma maior prevalência dos desempregados com o secundário (26%) e com o 3º Ciclo (21%), nos restantes três concelhos os indivíduos com o 1º ciclo do ensino básico ou menos estão em maioria (entre 34 a 44%), sendo que em Idanha-a-Nova 20% dos inscritos têm menos que o 1º Ciclo.

Este peso dos desempregados com baixas qualificações é explicado pelos níveis de educação e de qualificação de grande parte da população da BIS, factor crítico que condiciona drasticamente a competitividade territorial.
 


ADRACES © 2017 - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por: citricweb.pt